As Aventuras do Menino Iogue

Espetáculo com boas intenções escorrega na regular execução cênica

por

17 de dezembro de 2015

O musical “As Aventuras do Menino Iogue” dirigida por Arlindo Lopes e Juliana Terra, está em cartaz no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, Rio de Janeiro. Inspirada no livro homônimo de Antonio Tigre, a peça apresenta a ioga, a cultura hindu e conta a história de um jovem príncipe indiano que está cansado da vida cheia de regras no palácio quando recebe um chamado que muda sua vida para sempre. Um pássaro azul diz que ele deve empreender uma viagem até as montanhas dos Himalaias para encontrar e descobrir um segredo sobre o universo. Assim, o menino parte em busca desse encontro e, no caminho, conhece várias deidades da mitologia hindu e aprende o segredo do universo.

Uma das coisas mais interessantes do espetáculo são as máscaras da artista plástica peruana Maria Arribasplata, feitas em papietagem. Foto de  Carol Chediak.

Uma das coisas mais interessantes do espetáculo são as máscaras da artista plástica peruana Maria Arribasplata, feitas em papietagem. Foto de  Carol Chediak.

Menino Iogue_foto Carol Chediak (1)

Apesar de ser interessante a ideia, a manipulação e atuação do Menino Iogue realizada por Antonio Tigre é bastante fraca. Foto de Carol Chediak.

O mérito do projeto reside na escolha do tema, ainda que a adaptação – atribuída a Arlindo Lopes, Carol Chediak e Juliana Terra, não seja tão fluída e consistente em relação ao desenvolvimento das personagens apresentadas. Todas elas passavam muito superficialmente na cena, onde a valorização acrobático-corporal dilui por demais as possibilidades de conhecimento real das origens, e da essência dos mitos indianos de Shiva, Ganesha, Brahma, Vishnu, e Parvati, entre outros. O demérito do espetáculo está na direção e na má-apresentação da animação dos títeres. A começar pela total ausência da personagem do Menino Iogue, representado por um boneco do tamanho de uma criança, desenvolvido por Alexandre Guimarães, ele ganha vida nas mãos de Antonio Tigre, professor de ioga. Ele simplesmente não existe como ser animado. De técnica de manipulação direta, ele jamais poderia ser manipulado por um único ator-manipulador, pois com isso ele fica quase que como um “boneco de Olinda”, com seus braços soltos e sem verdade e energia. Com o agravante também na interpretação do ator-manipulador que chama a atenção o tempo todo com suas caras, bocas e expressões que deveriam ser facultadas ao boneco Menino Iogue. E assim são todas as manipulações. Sendo um dado interessante as máscaras dos músicos, feitas na técnica de papietagem, desenvolvidas pela artista plástica peruana, Maria Arribasplata. Os figurinos são corretos e os cenários apresentam alguns problemas de acabamento. A preparação corporal é interessante, ainda mais no jogo dos macaquinhos e principalmente na cenas em que o ator anda em um “globo”. A direção musical é simples, porém agradável e executada com correção utilizando os instrumentos zabumba e sitar, guitarra e harmonium, violino e tampura. Os atores também são corretos, sendo uma boa atuação de Orlando Caldeira como Shiva, corretas de Luciana Bollina como Parvati e Grasiela Muller, que representa o pássaro azul; e uma atuação muito fraca do ator que manipula e atua como o Menino Iogue.

FICHA TÉCNICA

Baseado no livro “As Aventuras do Menino Iogue”, de Antonio Tigre

Adaptação teatral: Arlindo Lopes, Carol Chediak e Juliana Terra

Direção: Arlindo Lopes e Juliana Terra

Elenco: Antonio Tigre, Antonio Arvind, Grasiela Muller, Guilherme Alves, Guilherme Cavalcanti, Luciana Bollina, Orlando Caldeira, Wilson Jequitibá

Assistência de direção e fotografia: Carol Chediak

Músicas originais: Antonio Tigre

Cenário: Gabi Windmüller e Alberta Barros

Figurino: Beth Passi de Moraes, Joana Passi e Rebeca Dallmaier

Iluminação: Paulo César Medeiros

Direção musical: Guilherme Cavalcanti

Supervisão musical e preparação vocal: Soraya Ravenle

Direção de movimento: Juliana Terra

Preparação de manipulação do boneco: Alexandre Guimarães e Letícia Medella

Criação e confecção do menino iogue: Alexandre Guimaraes

Criação e confecção da cobra Ananta e do rato Vahana: Fernando Gomes

Designer de máscaras: María Arribasplata

Direção de produção: Alice Cavalcante

Assistente de produção: Luísa Reis

Co-realização: Pássaro Azul Produções Culturais

Realização: Terra Tigre Produções Artísticas e Sábios Projetos

Assessoria de Imprensa: Lu Nabuco Assessoria em Comunicação

SERVIÇO

Espetáculo: As aventuras do menino Iogue

Reestreia: 7 de novembro de 2015

Local: Teatro Clara Nunes (Shopping da Gávea)

Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea, Rio de Janeiro – RJ/Telefone – (21) 2274-9696

Temporada: 7 de novembro a 20 de dezembro

Data: Sábado e Domingo

Horário: 16h

Gênero: Musical – Infantil

Duração: 55 min.

Classificação: Indicado para crianças a partir de 3 anos

Preço: R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)

Bilheteria: todos os dias a partir de 13h

Capacidade: 496 lugares


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52