28º PRÊMIO SHELL DE TEATRO DO RIO DE JANEIRO

Destaque para o espetáculo “Caranguejo Overdrive”, que recebeu quatro indicações na lista do 2o semestre

por

05 de janeiro de 2016

O destaque do segundo semestre foi o espetáculo “Caranguejo Overdrive”, que concorre em quatro categorias: Autor, Direção, Ator e Atriz. A homenageada da próxima edição será a atriz Fernanda Montenegro, por uma vida inteira dedicada ao teatro.

Caranguejo-Overdrive-14,medium_large.1421082587

Carolina Virgüez, em primeiro plano, e elenco em cena de “Caranguejo Overdrive”.

Abaixo segue a relação completa dos indicados do segundo semestre ao 28º Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro:

Autor:

Diogo Liberano por “O narrador”

Pedro Kosovski por “Caranguejo Overdrive”

Beth Zalcman e Simone Kalil por “Brimas”

Direção:

Marco André Nunes por “Caranguejo Overdrive”

Renato Carrera por “Abajur lilás”

Ator:

Gustavo Falcão por “Race”

Matheus Macena por “Caranguejo Overdrive”

Atriz:

Alessandra Verney por “Kiss me, Kate! O beijo da megera”

Carolina Virguez por “Caranguejo Overdrive”

Cenário:

Paulo de Moraes e Carla Berri por “Inútil a chuva”

Fernando Mello da Costa por “O Pena carioca”

Figurino:

Carol Lobato por “Kiss me, Kate! – O beijo da megera”

Antônio Guedes por “O homessexual ou a dificuldade de se expressar”

Iluminação:

Maneco Quinderé por “Inútil a chuva”

Paulo Cesar Medeiros por “A Santa Joana dos matadouros”

Música:

Marcelo Alonso Neves por “Amargo fruto – a vida de Billie Holiday”

Tato Taborda por “Befles excêntricos”

Inovação:

Claudio Lins pela iniciativa de criar uma dramaturgia musical em diálogo com a obra de Nelson Rodrigues no espetáculo “O beijo no asfalto”.

Luiz Felipe Reis pela multiplicidade de linguagens na abordagem cênica sobre a ação do homem nas transformações climáticas em “Estamos indo embora”.

O júri do Rio de Janeiro se manteve o mesmo da última edição, sendo formado por Ana Achcar, Bia Junqueira, João Madeira, Macksen Luiz e Moacir Chaves.

A premiação

Os vitoriosos em cada categoria receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo daShell, e uma premiação individual de R$ 8 mil (oito mil reais).

Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros. É oferecido aos maiores destaques do ano, no Rio de Janeiro e em São Paulo separadamente, em nove categorias- Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenografia, Iluminação, Música, Figurino e Inovação.