19ª Mostra De Tiradentes Divulga Os Vencedores

“Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança”, filme de São Paulo, ganhou prêmio do Júri da Crítica na Aurora; Júri Jovem escolheu “Tropykaos”, do baiano Daniel Lisboa

por

01 de fevereiro de 2016

Na noite de sábado, dia 30 de janeiro, o filme “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança”, produção paulista de Thiago B. Mendonça, foi o grande vencedor do Troféu Barroco de melhor longa-metragem daMostra Aurora, na escolha do Júri da Crítica da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Exibido na sexta-feira, dia 29, a produção acompanha um grupo de jovens numa São Paulo cheia de conflitos sociais e urbanos. “Ver esse trabalho sendo recebido da maneira como foi aqui demonstra que a gente pode utilizar o cinema para as nossas lutas”, disse Thiago, no palco do Cine-Tenda. “Dedico este troféu ao Movimento Mães de Maio, que continuam na batalha diária lá em São Paulo”.

O Júri da Crítica também premiou um curta-metragem da Mostra Foco. O escolhido foi “Noite Escura de São Nunca”(RJ), de Samuel Lobo. “Acredito num cinema de invenção e de criação. Foi um privilégio exibir o filme aqui em Tiradentes, ainda mais tendo ganhado esse prêmio”, celebrou o cineasta, no agradecimento.

Por sua vez, o Júri Jovem – formado por cinco estudantes universitários entre 18 e 25 anos – avaliou os longas daMostra Transições. O escolhido foi “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa. “Eu não esperava ganhar, então não preparei nada para falar”, brincou o realizador, agradecendo parte da equipe de seu filme, que estava presente no Cine-Tenda.

Pelo Júri Popular, os vencedores foram o longa “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins; e o curta“Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein.

O Prêmio Aquisição Canal Brasil foi para o curta-metragem “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira.

 

CONFIRA OS PRÊMIOS E VENCEDORES DA 19ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES
Melhor curta pelo Júri Popular: “Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario
– 20 horas de mixagem do CTAV
– R$ 8 mil em serviços de finalização da Mistika

Melhor curta da Mostra Foco pelo Júri da Crítica: “Noite Escura de São Nunca” (RJ), de Samuel Lobo
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario, acessórios e maquinários
– Empréstimo de câmeras do CTAV
– Duas diárias de correção de cor e master DCP para até 20 minutos da Dot Cine.

Melhor curta pelo Canal Brasil: “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira
– R$ 15 mil do Canal Brasil

Melhor longa da Mostra Transições pelo Júri Jovem: “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa
– Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da Ciario
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós

Melhor longa da Mostra Aurora pelo Júri da Crítica: “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança” (SP), de Thiago B. Mendonça
Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da Ciario
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós
– Master DCP para longa até 120 minutos da Dotcine

Melhor longa pelo Júri Popular: “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins
– Troféu Barroco
– R$ 30 mil em finalização da Mistika