Dois Caras Legais

Pacote carismático recheado de clichês à moda antiga

por

21 de julho de 2016

Este é o tipo de filme que as feministas vão odiar. A história é centrada em dois garanhões solteiros que bebem, batem e não prestam atenção no que as mulheres estão falando. Mas para o diretor Shane Black (O Homem de Ferro 3), “Dois Caras Legais” (The Nice Guys no original) é uma ótima oportunidade de ressuscitar os clássicos “noirs” de espionagem onde a amizade masculina é celebrada a base de socos e pontapés e as mulheres são mero objeto de desejo. Aqui a pegada é na base da comicidade despretensiosa recheada de clichês à moda antiga.

nice2

Na verdade, “Dois Caras Legais” pode ser encarado como uma refilmagem cômica de “Los Angeles: Cidade Proibida” (1997), situando a trama nos anos 70, início de uma era repleta de libertinagem. O ano é 1977, quando o movimento hippie perdia a força, Nixon já tinha renunciado e a pornografia e a disco music adquiriam um status social. Um carro em alta velocidade atropela o quarto de um adolescente que se masturba com a imagem de uma estrela pornô. Ao prestar socorro, o jovem se depara com o próprio objeto de desejo, completamente indefesa e ferida. É neste cenário que os dois caras legais do título (os detetives Holland e Jackson) são contratados para desbaratar uma quadrilha envolvendo políticos corruptos, desaparecimento de “pinups”, “femme fatales” e o assassinato de uma equipe de filmes de protesto. Tudo embalado num pacote carismático que nunca sai dos trilhos, permitindo que os dois astros principais brilhem o máximo possível. Russel Crowe tira onda do seu passado gladiador e mesmo com uns quilos extras mantém seu jeito blasé, enquanto Ryan Gosling exerce sua veia cômica com um personagem atrapalhadamente charmoso. A dupla apresenta uma inesperada química turbinada por piadas espirituosas e diálogos ácidos.  O contraponto é a presença de Holly (Angourie Rice), a filha adolescente e esperta de Holland, cujo instinto investigativo supera os marmanjões, rendendo ótimas tiradas.

nice3

“Dois Caras legais” é entretenimento clássico e sem firulas e embora soe nostálgico e démodé em algumas sequências, prova que o machismo, quando bem explorado ainda é muito bem vindo em Hollywood.

nice1

Dois Caras Legais (The Nice Guys)

Eua, 2016. 116 min.

Direção: Shane Black

Com: Russel Crowe, Ryan Gosling, Angourie Rice, Matt Bomer, Margaret Qualley

 


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52