Releitura de Romeu e Julieta faz reflexões contemporâneas

Núcleo Experimental discute gênero, comportamentos impostos e afetividade

por

04 de janeiro de 2017

romeu-e-julieta-001O clássico texto de Romeu e Julieta ganhou um novo olhar por parte do Núcleo Experimental. A peça que teve temporada de sucesso no ano passado volta a sede da trupe, onde faz a releitura de um dos maiores signos de romantismo da história.

romeu-e-julieta-002A adaptação dirigida pelo talentoso e premiado Zé Henrique de Paula (“Urinal – O Musical”) busca discutir o gênero em ROMEU E JULIETA – De almas sinceras a união sincera nada há que impeça. A reflexão é feita através de questões que envolvem modelos de comportamento impostos, construção da afetividade e a descoberta da sexualidade. No palco, quatro atores e três atrizes ocupam um espaço abandonado de uma grande cidade qualquer (que pode ser a São Paulo de Marco Feliciano ou a Moscou de Vladimir Putin). Sete jovens estudantes de teatro resolvem passar a noite ensaiando Shakespeare e se revezam nos papeis de Romeu e Julieta. Na medida em que a peça avança em direção ao seu desfecho trágico, a ficção e a realidade se misturam; o espaço e o tempo se relativizam, abrindo caminho para a violência, a paixão, o poder e a morte.

romeu-e-julieta-003O teatro do Núcleo Experimental já havia feito, em 2006, com o título de R&J, uma montagem onde quatro atores se revezavam entre todos os papéis da peça, permitindo um olhar sobre a afetividade em todas as suas manifestações. Em 2016, em comemoração aos 400 anos do bardo, voltaram ao tema e lançaram uma nova abordagem nessa grande referência da dramaturgia, que tem como fonte o mito romano de Píramo e Tisbe. Embora seja um dos maiores símbolos quando o assunto é amor, tendo inspirado desde De Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco, até a saga Crepúsculo, best seller da escritora americana Stephanie Meyer, passando pela ópera de Gounod, pelo musical da Broadway West Side Story e pelas versões cinematográficas, as leituras se sucedem sempre revelando novos aspectos e refletindo sobre o amor puro (e proibido), capaz de atos de entrega extrema, como a própria morte.

romeu-e-julieta-004Zé Henrique faz uma releitura atual e que evoca questões fundamentais na sociedade contemporânea. A direção musical e preparação vocal fica por conta de Fernanda Maia. Em cena, os jovens Cícero de Andrade, Danilo Rosa, Débora Peccin, Lucas Sanchez, Luiza Porto, Natália Foschini e Thiago Sak ajudam a mostrar que a peça é ainda mais fundamental do que todos poderiam imaginar.

ROMEU E JULIETA – De almas sinceras a união sincera nada há que impeça

Onde: Teatro do Núcleo Experimental. Rua Barra Funda, 637.  Barra Funda (tel.:  11 3259.0898)

Quando: Sextas e sábados às 21h. Domingos às 19h. (até 05 de fevereiro)

Quanto: R$ 40

Classificação etária: 14 anos

Duração: 100 min