Caco Ciocler e Marília Gabriela em peça que aborda realidades paralelas

Dramaturgo inglês flerta com universos paralelos, física quântica e as escolhas do cotidiano

por

17 de abril de 2017

Constelacoes_-_Joao_Caldas_F_3Realidades paralelas e multiverso ganham o palco do Tucarena. O que pode parecer elementos da ficção científica, fazem parte da física quântica, e sem qualquer didatismo, o autor Nick Payne leva o público através da jornada do relacionamento entre Marianne e Roland.

A escolha foi por uma sucessão vertiginosa de sketches que se desdobram através do tempo e espaço. Um embate entre a cosmóloga, Marianne (Marília Gabriela) e o cético apicultor Roland (Caco Ciocler ou o alternante Sérgio Mastropasqua), serve de mote para o romance e também como fio condutor da trama de Constelações.

Constelacoes_-_Joao_Caldas_F_4Sem uma trama linear, o autor faz uso da variação de texto para lançar as personagens em uma trajetória totalmente nova, seja criando uma aproximação ou um afastamento. Através de uma sequência de vinhetas, uma relação vai sendo construída, uma insólita história de amor, com diálogos que refletem o dinamismo de nossa era digital e valoriza a riqueza do significado das palavras. Deixando para o diretor Ulysses Cruz extrair o máximo de seus atores.

Constelacoes_-_Joao_Caldas_F_7Durante pouco mais de uma hora, o público é levado a explorar as infinitas possibilidades do amor. Um recurso, que a princípio pode parecer um jogo do jovem dramaturgo britânico, refazendo as cenas com infinitas variáveis. Entretanto, o grande truque, é a capacidade com que a cada cena em outra realidade, seja estabelecido um desenvolvimento das personagens e o interesse da plateia. Um desafio que parece simples, mas não é.

CONSTELAÇÕES

Onde: TUCARENA Rua Monte Alegre, 1024. Perdizes (Entrada pela Rua Bartira) (tel.: 11 3670-8455)

Quando: Sextas e sábados, 21h.  Domingos, 18h. (até 25 de junho)

Quanto: R$ 60 (sexta) e R$ 70 (sábado e domingo)

Duração: 70 minutos

Classificação etária: 12 anos