8o Pequeno Grande Encontro de Teatro para Crianças de Todas as Idades/PGE

A atriz e bonequeira Olga Romero foi a grande homenageada da noite de Abertura no Teatro Guairinha

por

15 de maio de 2017

Foi aberto oficialmente, no dia 25 de abril, no Teatro Guairinha em Curitiba/PR, o 8o Pequeno Grande Encontro de Teatro para Crianças de Todas as Idades/PGE, pela diretora do evento Letícia Guimarães. Idealizado pela prestigiada Cia do Abração, a homenageada deste ano foi Olga Romero. Olga é atriz, autora, diretora e bonequeira com 38 anos dedicados à arte do teatro de bonecos. Em seu currículo constam autoria e direção de diversas peças teatrais. Inserida entre os nomes mais importantes do teatro infantil no Brasil, Olga também tem atuação reconhecida na América do Sul e na Europa. A artista realizou curso de aprimoramento em Bolonha, na Itália, e entre suas atividades estão oficinas e palestras sobre arte-educação, sempre com o objetivo de estimular a leitura. É de sua autoria o livro infantojuvenil “Maria das Cores e seus Amores”, publicado em edição bilíngüe (português–espanhol) pela Editora Arte e Letra. Depois de um pequeno discurso de apresentação do 8o PGE, Leticia Guimarães, que ressaltou a relevância da persistência e resistência da longevidade de tão importante encontro no estado do Paraná; foi a vez de chamar ao palco a diretora curitibana Fatima Ortiz, da Pé no Palco – com a alcunha de ser a sua mestra no teatro para a infância e juventude -, para que ela entregasse o Troféu “Maria das Cores”, a própria homenageada desta 8o edição. Olga, muito entusiasmada por esta sincera homenagem, se intitulou uma batalhadora, que foi vista por diversas gerações e que era uma acumuladora de coisas e afetos. Trajando consigo estes vários objetivos antigos, e de família, que ia sendo aos poucos revelados a nós, com os seus olhos brilhando de encantamento e nos enchendo de orgulho por esta importante trajetória.

Abertura do 8o PGE com Le, Olga e Fatima

Fatima Ortiz, a homenageada Olga Romero, ao receber o seu “Prêmio Maria das Cores”, e Letícia Guimarães, no palco do emblemático Teatro Guairinha. Foto de Isabelle Neri.

Olga Romero

Olga Romero posando no anexo do Teatro Guairinha, com a sua Exposição ao fundo. Foto de Isabelle Neri.

Dando prosseguimento a noite, vimos o vídeo institucional bastante completo, em quase 6 minutos de projeção, que falava sobre a memória – em diversas facetas -, imagens de espetáculos da Cia, e com depoimentos de apoiadores e patrocinadores desta diferenciada edição. O vídeo antecedeu a apresentação do espetáculo de abertura, realizado também pela Cia do Abração “Estórias Brincantes de muitas Mainhas”. O espetáculo foi um dos maiores acertos do PGE, em todos os seus anos de abertura, neste formato no Guairinha. Onde a encenação transcorreu com bastante harmonia, entre todos os elementos técnicos e artísticos do espetáculo, principalmente quando falamos de uma noite de festa, onde muitas coisas acontecem. Partido de uma sensível história de três divertidos e ingênuos velhinhos ucranianos, que são os contadores dessa “estória” e se confundem, brincam e se emocionam com a pureza própria de uma criança. Movidos pelos sentimentos de saudades e lembranças, começam a falar sobre suas próprias mães e sobre as diferentes mães que conhecem. Neste clima de brincadeira e faz-de-conta, fazem abstrações, imaginando que todas as coisas, objetos do cotidiano e elementos da natureza, também têm mães. Toda a pesquisa estética do espetáculo possui inspiração na cultura do Leste Europeu, ressaltando a polonesa e a ucraniana, que influenciam fortemente a formação cultural do sulista, devido ao processo de colonização européia na região paranaense.

Mainhas 3

Uma bela foto de Isabelle Neri, que traduz com primor, as belezas e grandezas do espetáculo: “Estórias Braincantes de muitas Mainhas”. Isabelle é uma das maiores fotógrafas de teatro de nosso país, e ver as suas fotos, sempre me impressionam muito.

Mainhas 2

Edgard Assumpção é também um dos grandes valores da Cia do Abração, e sempre é responsável por ótimos momentos nos espetáculos em que participa. Foto de Isabelle Neri.

O grande mérito da direção de Letícia Guimarães, no espetáculo, foi o de conseguir extrair um dos melhores desempenhos conjuntos de todas as suas obras, na atualidade. A composição formada por Edgard Assumpção, Blas Torres e Ana Sercunvius, é uma das mais completas, fluidas e que se encaixou muito bem dentro da proposta colaborativa da Cia. Eles conseguiram traduzir muito bem toda a filosofia de trabalho desenvolvido para o espetáculo, em seu texto dramático – atribuido a criação coletiva sob a supervisão de Letícia Guimarães -, os jogos cênicos, na caracterização de cada uma das suas personagens mães, na resiginificação dos objetos,  e no construir e desconstruir das cenas, diante de nossos olhos, e na preciosa música selecionada pela própria Cia. Tudo isso aliado ao bonito figurino e ao lindo e delicado cenário – de Simone Pontes -,  feito de piso, cubos, malas e cadeiras inspirados na cultura ucraniana, das famosas “pêssankas”, ovos pintados de forma colorida com uma linguagem própria de símbolos e sinais de prosperidade, saúde, paz, entre tantos outros e que hoje são o símbolo icônico do Estado do Paraná.  Todos os espetáculos da Cia carregam sempre um número grande de possibilidades, assuntos interligados, e pequenas sensibilidades que abrem a obra para uma dimensão maior, e aguçando os campos de percepção das inteligências cênicas, e humanas; assim como cada um dos pequenos compartimentos dos expressivos cubos que compõem o universo da cena, e da alma humana. Foi com grande felicidade que assisti a apresentação, principalmente por ter sido um dos maiores momentos da Cia, pela presença magnética, carismática e de grande talento da atriz Ana Sercunvius. Uma das melhores aquisições da Cia do Abração, em todos os tempos.

Mainhas 1

Os cubos e todos os minuciosos detalhes contidos neles, e de grande delicadeza, é um dos grandes achados da peça. Foto de Isabelle Neri.

Mainhas 4

Detalhe da ótima atriz Ana Sercunvius, uma das maiores aquisições da Cia do Abração, em todos os tempos. Foto de Isabelle Neri.

Após o delicado e emocionante espetáculo foi servido um delicioso coquetel no foyer do Teatro Guairinha; que contou com a presença de Olga Romero, os integrantes da Cia do Abração, Fatima Ortiz, Regina Vogue, Maria Adelia, e um grande público que lotou o Teatro. O 8o Pequeno Grande Encontro de Teatro Para Crianças de Todas as Idades, foi patrocinado pelo Ministério da Cultura e Fundação Cultural de Curitiba, através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, e pelo BANCO DO BRASIL, com a parceria do Teatro Guaíra e da ATINJ/PR – Associação de Teatro para Infância e Juventude do Estado do Paraná.

Coquetel 3

Fatima Ortiz, Orly Veras, Isabelle Veras, Leticia Guimarães e Maria Adelia no Coquetel pós peça. Foto de Isabelle Neri.

Coquetel 2

Coquetel de Abertura do 8o PGE no foyer do Teatro Guairinha. Foto de Isabelle Neri.

Coquetel 1

Ricardo Schöpke, Thaysa Lisbôa e Vinicius Sant no Coquetel de Abertura. Foto de Isabelle Neri.

 

Ficha técnica

Direção: Letícia Guimarães

Dramaturgia: Criação coletiva sob a supervisão de Letícia Guimarães

Cenografia e Figurino: Simone Pontes

Iluminação: Blas Torres

Sonoplastia: Cia. Do Abração

Elenco: Edgard Assumpção, Ana Sercunvius e Blas Torres

Duração: 50min

Classificação – Livre

Avaliação Ricardo Schöpke

Nota 5