28° Festival Cine Ceará: Debate sobre curtas da 3° noite competitiva

Curtas focaram na representatividade e lugar de fala, assim como cinema de gênero e linguagem

por

08 de agosto de 2018

Debate sobre a 3° noite competitiva no 28° Festival Cine Ceará

Com os curtas: “Nomes que Importam” representado por uma das diretoras, Ângela Donini, “Maria Cachoeira” de Pedro Carcereri, “Eu Sou o Super-Homem” de Rodrigo Batista, e “O Evangelho Segundo Tauba e Primal”, de Marcia Deretti e Marcio Junior.

No vídeo abaixo, a pergunta de estudo da prestigiosa convidada jurada nesta edição do Festival, Sylvie Pierre, a primeira mulher crítica a escrever na famosa Cahiers Du Cinema, sobre como casais de diretores dividem o trabalho entre eles quando dirigem juntos?, como no caso de “O Evangelho Segundo Tauba e Primal”, de Marcia Deretti e Marcio Junior:

Cada vídeo abaixo contém a fala introdutória de respectivos realizadorxs de cada filme:

Ângela responde sobre a pesquisa que embasou o filme:

Rodrigo, Pedro e Ângela respondem à pergunta do Almanaque através de seu correspondente e editor-chefe Filippo Pitanga sobre a força sociopolítica de seus filmes e como foi o acompanhamento psicológico de suas construções ao mesmo tempo em que se criava uma linguagem para além do cinema de gênero, além de falarem sobre crenças e imaginário social e como mudar isso coletivamente de forma positiva através do audiovisual: