Ága (42° Mostra de SP)

Paisagem que respira história

por

02 de novembro de 2018

Este filme lírico e agridoce é mais um dos longas-metragens que pôde ser conferido pelo presente correspondente almanaquista no Festival de Berlim deste ano, o qual pode ser encontrado agora em exibição inédita no Brasil na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Screenshot_20181102-140442

Com direção do búlgaro Milko Lazarov, “Ága” prima pela direção de atores ao focar num naturalismo cotidiano quase documental, principalmente a verossimilhança com a vida real através do casal interpretado por Mikhail Aprosimov e Feodosia Ivanova: Um filme muito simples no conteúdo ao acompanhar a rotina de um casal idoso de esquimós isolados que cortaram relação com a filha… Mas a fotografia é tão suntuosa e com tantas homenagens a Flaherty e seu clássico dos clássicos Nanook que faz o filme engrandecer.

Screenshot_20181102-140442

Existe um ar gélido de reverência circular à natureza, como se travelings e efeitos de câmera ou mesmo enquadramentos, cenários e desenhos de arte fossem todos alusões ao ciclo da cida, que sempre continua e perpetua para além de onde os olhos pode ver, para além de onde a tela pode captar. Uma centelha do infinito através da imaginário do cinema que só a magia da sétima arte na tela grande pode trazer.

Crítica do filme em vídeo direto do Festival de Berlim no início do ano: