Aliados

Brad Pitt e Marion Cotillard são as estrelas de novo romance de espionagem de Robert Zemeckis

por

16 de fevereiro de 2017

Quando se pensa em filmes de espionagem hoje em dia, o que normalmente vem à cabeça são filmes com muita ação, ao contrário dos clássicos do gênero dos anos 40, que frequentemente davam destaque a um romance. Com “Casablanca” (1942) como grande inspiração, Robert Zemeckis (Trilogia “De Volta para o Futuro”, “O Voo” e “Náufrago”) retorna à direção depois de “A Travessia” com o romance de espionagem “Aliados”, que segue os mesmos moldes dos longas-metragens da década de 40, com uma atmosfera de filme noir. Ainda que haja algumas boas cenas de ação, o foco do roteiro de Steven Knight (“A 100 Passos de Um Sonho”, “Senhores do Crime” e “O Dono do Jogo”) se mantém no relacionamento do casal de espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard), que se conhecem e se apaixonam em meio a uma missão em Casablanca, no Marrocos. Após alguns anos de casamento, surge uma forte suspeita de que Marianne esteja espionando para os alemães e os dias de felicidade do casal chegam ao fim quando Max decide investigar por conta própria o passado e a verdade sobre sua esposa.

Indicado ao Oscar deste ano na categoria de Melhor Figurino, “Allied” (no original) é um longa que possui inegáveis qualidades técnicas e belos movimentos de câmera, especialmente na cena de amor no carro, que lembra a cena de “Titanic” (1997) se trocado o alto mar pelo deserto. O filme bebe bastante da fonte das tramas de espionagem dos anos 40, além de compartilhar semelhanças com “Crimes Ocultos” (2015), de Daniel Espinosa, e ter uma pitada de “Sr. e Sra. Smith”, protagonizado por Pitt e sua ex-esposa Angelina Jolie. O mistério central do enredo, com um clima de tensão, perdura até o final, quando o espectador finalmente descobre junto com Max a verdade sobre Marianne. Zemeckis peca, no entanto, pelo ritmo irregular dado à película, que começa bem, se torna arrastada no segundo ato e só recupera o fôlego no terceiro ato.

Aos que estão acostumados com o combo de espionagem e ação, “Aliados” talvez não agrade muito por soar um pouco monótono. Já os fãs dos clássicos de espionagem, especialmente “Casablanca”, devem ficar satisfeitos com todas as referências reunidas por Zemeckis e Knight neste belo romance, que não é inesquecível, porém carrega muitos pontos positivos.

 

 

Aliados (Allied)

EUA – 2017. 125 minutos.

Direção: Robert Zemeckis

Com: Brad Pitt, Marion Cotillard, Jared Harris e Lizzy Caplan.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 4