Aos Teus Olhos

A difamação em tempos de redes sociais

por

13 de outubro de 2017

Aos Teus Olhos, segundo longa de Carolina Jabor, guarda semelhanças com A Caça (2012), de Thomas Vinterberg. Ambos tratam de acusações de pedofilia contra homens aparentemente confiáveis e respeitáveis em suas respectivas comunidades: o professor de educação infantil Lucas (Mads Mikkelsen), no filme dinamarquês, e o instrutor de natação Rubens (Daniel de Oliveira), no de Jabor. A jovem diretora, no entanto, busca acrescentar aqui alguns elementos que tornam um pouco mais turva a relação que estabelece com seu protagonista – enquanto Vinterberg se mantinha o tempo todo ao lado de Lucas, jamais duvidando de sua inocência.

Aos Teus Olhos

Rubens brinca frequentemente com seu colega de trabalho, vivido por Gustavo Falcão, a respeito de suas alunas adolescentes, sexualizando-as e aparentando se gabar de despertar interesse nelas. Além disso, Jabor faz questão de não mostrar o que realmente ocorreu no vestiário do clube de natação entre o professor e a suposta vítima: como é ressaltada mais de uma vez a não existência de câmeras nesse espaço, a diretora opta por se restringir aos registros que também poderiam ser acessados por outros personagens – e o próprio Rubens conta, em momentos e para pessoas distintas, versões diferentes do acontecido.

Essa dubiedade na relação com os atos do protagonista é fundamental para que Jabor e o roteirista Lucas Paraizo desenvolvam o tema que mais lhes interessa: a difamação em tempos de redes sociais. A mãe do garoto supostamente abusado apressadamente inicia um movimento de denúncia para outros pais no WhatsApp, que logo se transforma em postagem no Facebook e em verdade que circula pelo clube, ameaçando a carreira e a reputação de Rubens, bem como o funcionamento do próprio estabelecimento. Jabor e Paraizo conseguem ser muito certeiros na captação desse mal da contemporaneidade sem apostarem em qualquer histeria ou sensacionalismo. Aos Teus Olhos é um filme austero, contido, ainda que, no esforço por criar tensão a partir da construção visual, materializando esteticamente o desconforto do protagonista, a diretora opte por alguns enquadramentos bem feios, emulados do cinema nada elegante de Tom Hooper.

Permanece destacada, no fim das contas, a meritória concisão de Aos Teus Olhos, manifesta novamente em seu epílogo, que, se por um lado deixa a ânsia por acompanhar a fundo as possíveis consequências mais radicais da difamação irresponsável, por outro se mostra bastante acertado na conclusão da história logo após Rubens sofrer uma agressão física, ao tentar retornar ao trabalho. Mesmo que o caso continue em aberto, para a polícia e mesmo para a responsável pelo clube (Malu Galli, ótima no papel de uma profissional dedicada que faz de tudo para acreditar no seu subordinado, ao mesmo tempo que sente o peso da responsabilidade perante os pais de seus alunos), o destino de Rubens parece já traçado, como condenado pelo “tribunal do Facebook” que é.

 

Avaliação Wallace Andrioli

Nota 4