Apocalipse Yakuza

Novo filme de Takashi Miike aposta na ultra violência característica do diretor e diverte

por

14 de outubro de 2015

O polêmico Takashi Miike retorna ao Festival do Rio com “Apocalipse Yakuza”, história de um mafioso que contraria o estereótipo construído ao longo de décadas de representação cinematográfica. Boa praça, Kamiura (Lily Franky) encontra-se plenamente integrado à comunidade em que atua, agindo como verdadeiro benfeitor local. Quando um assassino aparece para eliminá-lo, seu segredo é finalmente revelado: Kamiura é, na verdade, um vampiro. Antes de morrer, ele passa adiante o seu dom (ou maldição?) para o capanga Kagayama (Hayato Ichihara), que forma um exército para proteger o território e vingar a morte de seu mentor.

Apocalipse Yakuza

Apocalipse Yakuza

A obra se insere na linha temática do diretor, adepto da extrema violência e do grafismo das tomadas de ação, sempre muito dinâmicas, beirando o frenético em algumas passagens. Em contraposição a esse dinamismo, Miike desenvolve cenas dramáticas com o ritmo lento e quase contemplativo que domina a filmografia oriental, opção que torna a obra, por vezes, cansativa. Ação e abstração misturam-se em um enredo fantástico e abstrato, no qual a concepção usual da narrativa dá lugar a uma estética aparentemente delirante.

Apocalipse Yakuza

Apocalipse Yakuza

O mérito disso vem não apenas da trama em si, mas, também, da direção de arte de “Apocalipse Yakuza”, cuja concepção do filme flerta abertamente com os mangás e os animes dos anos 1960 e 1970, inclusive no aspecto grotesco das produções da época, aqui presente na figura de um vilão que, fantasiado de sapo, tenta destruir Kagayama e sua gangue, no humor involuntário que sua figura provoca e no surrealismo sugerido por algumas passagens.

Apocalipse Yakuza

Apocalipse Yakuza

Embora não esteja no mesmo nível de “Por cima do seu cadáver” (2014), exibido no Festival do Rio de 2014, “Apocalipse Yakuza” faz jus à filmografia de seu diretor, exigindo do público, apenas, que o assista com a mente aberta.

Festival do Rio 2015 – Midnight Movies

Apocalipse Yakuza (Gokudo daisenso)

Japão, 2015, 115 minutos.

Direção: Takashi Miike

Com: Hayato Ichihara, Yayan Ruhian, Lily Franky, Den Den, Riko Narumi, Reiko Takashima, Pierre Taki, Sho Aoyagi, Kiyohiko Shibukawa, Mio Yuuki


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52