As Aventuras de Paddington

por

04 de dezembro de 2014

Criado pelo inglês Michael Bond em 1958, Paddington é um personagens mais queridos da literatura infantil britânica. Nascido no Peru, o ursinho gentil e educado, viciado em marmelada, já deu origem a dezenas de livros, traduzidos e lançados em diversos países, e a uma série televisiva, produzida pela BBC na década de 1970. Agora, ele chega aos cinemas pelas mãos do diretor Paul King, da comédia “Bunny e o Touro” (2009).

Paddington-Bear

Após ver sua casa destruída e seu tio Pastuzo (dublado originalmente por Michael Gambon) morto por um terremoto, Paddington (dublado originalmente por Bem Whishaw) é levado por sua tia Lucy (dublada originalmente por Imelda Staunton) até o porto, de onde parte escondido em um navio para Londres em busca de um novo lar. Lá, Paddington encontra a família Brown, que o acolhe em sua residência até que ele encontre um lugar para morar. Ao descobrir a presença do urso na cidade, um dos últimos de sua espécie, Millicent (Nicole Kidman), responsável pelo setor de taxidermia do Museu de História Nacional, decide capturá-lo e empalhá-lo.

paddington-watch-paddington-trailer-dances-the-sirtaki

Tratando-se de uma obra destinada ao público infantil, o roteiro é extremamente simples e a narrativa é desenvolvida sem maiores rodeios. Isso, contudo, não impede a obra de apresentar nuances interessantíssimas de todos os personagens, especialmente os membros da família Brown. Calcado em uma direção de arte primorosa, o filme apresenta cenários e figurino que transmitem, através do uso da cor e da mise-en-scène, o ambiente multifacetado e plural em que o protagonista, essencialmente unidimensional, encontra-se inserido.

106869

O primor desse trabalho fica ainda mais evidente diante da opção da distribuidora pela exibição de uma cópia dublada da obra. Com a análise do desempenho do elenco sensivelmente prejudicada, é através da direção de arte que se torna possível compreender as diferenças claras de personalidade entre o Sr. Brown (Hugh Bonneville), um sisudo analista de riscos que vê perigo e insegurança por todos os lados, sua esposa (Sally Hawkins), uma ilustradora de histórias sonhadora e aventureira e os filhos do casal, a tímida e reservada Judy (Madeleine Harris) e o curioso e inventivo Jonathan (Samuel Joslin). É por intermédio dela, também, que se evidencia o caráter patológico da vilã interpretada por Kidman, cuja caracterização detalhada evidencia seu desprezo pelo mundo animal.

as-aventuras-de-paddington-poste

“As Aventuras de Paddington” (“Paddington, no original) finca seus pés no humor ingênuo e pueril típico de seu público alvo. Com o foco voltado para o aspecto físico da diversão, o longa apresenta um arcabouço referencial rico e de qualidade, remetendo o público à obra de Charles Chaplin, ao clássico “Mary Poppins” (1964) e à franquia “Esqueceram de Mim” (iniciada em 1990). Há espaço, ainda, para referências menos óbvias e nada infantis, como a hilária cena protagonizada por Kidman em homenagem ao primeiro “Missão Impossível” (1996), uma passagem que faz referência a “Encouraçado Potemkin” (1925) e outra, que cita “O Lobo de Wall Street” (2013), de Martin Scorsese.

Paddington1

Dirigido e produzido com grande elegância, “As Aventuras de Paddington” prova-se um filme de extremos bom gosto e apuro técnico, sem se desprender, por um único instante, de seu objetivo primordial: agradar o exigente público a que se destina,

As Aventuras de Paddington (Paddington)

França/Reino Unido, 2014, 95 minutos.

Direção: Paul King

Elenco: Michael Gambon, Bem Whishaw, Imelda Staunton, Hugh Bonneville, Sally Hawkins), Madeleine Harris, Samuel Joslin e Nicole Kidman.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52