Balanço da metade do Festival 6º Olhar de Cinema em Curitiba

Lista com 10 surpresas e 10 decepções

por

12 de junho de 2017

Bem, chegando na metade do 6° Olhar de Cinema em Curitiba, já podemos fazer um balanço provisório do que foi visto até agora em duas listas, uma para grandes surpresas e êxtases e outra para decepções ou que ficaram aquém da expectativa. De forma alguma é um parâmetro de conteúdo, até porque gostei razoavelmente de alguma ou outra decepção, ficando apenas, como dito acima, um pouco aquém da expectativa:

Surpresas, em ordem:

História Mundana de Anocha Suwichakornpong
História de Taipei de Edward Yang
Outono Outono de Chun-Cheon
Grande Grande Mundo de Reha Erdem
Ocorrido Em Um Recinto Obscuro de Ashim Ahluwalia
Navios de Terra de Simone Cortezão
A Casa de Lucia de Lucia Luz e João Marcelo
Corpo Estrangeiro de Raja Amari
Selva de Sofía Quirós
A Família de Gustavo Rondón

Decepções:

Vangelo de Pippo Delbono
Vangelo de Pippo Delbono
Vangelo de Pippo Delbono
Vangelo de Pippo Delbono
Vangelo de Pippo Delbono
Soldado de Manuel Abramovich
Newton de Amit V Masurkar
Máquinas de Rahul Jain
Ciudad Maya de Andrès Padilla Domene
Nyo Vweta Nafta de Ico Costa

Ficaram de fora das 2 listas “O Disco Resplandece” de Chema García Ibarra e “Estrangeiro” de Anocha Suwichakornpong, por não me encaixarem nem numa lista, nem noutra.
E filmes exibidos aqui e que já vi na minha vida, como clássicos do Murnau ou mesmo recentes como “Rifle” de Davi Pretto ou o brilhante e controverso “Baronesa” de Juliana Antunes, não entraram nestas listas uma vez que não os assisti neste Festival…

#OlhardeCinema #6OlhardeCinema