Based on a True Story

Polanski enfim se mostra cansado

por

11 de outubro de 2017

Aos 84 anos, Roman Polanski enfim se mostra cansado com Based on a True Story. Após fazer três filmes bastante potentes, sobretudo o último (A Pele de Vênus, de 2013) e o antepenúltimo (O Escritor Fantasma, de 2010), o diretor entrega aqui um suspense barato, de ritmo arrastado e sem qualquer sofisticação narrativa ou dramatúrgica, que parece destinado a exibições pouco prestigiadas nas noites da televisão aberta. Protagonizado por Emmanuelle Seigner e Eva Green, Based on a True Story acompanha a relação entre uma escritora consagrada, mas emocionalmente fragilizada (ainda que as razões para isso nunca sejam realmente explicadas), e uma fã, que se aproxima e vai, aos poucos, tomando controle da vida da primeira. Algo que remete, portanto, a Louca Obsessão (1990), de Rob Reiner, ou mesmo a um dos elementos que compõem o recente mãe!, de Darren Aronofsky, mas sem chegar sequer perto de alcançar o mesmo grau de tensão desses dois grandes filmes.

Há pontos de contato com a obra anterior de Polanski em Based on a True Story: Elle (Green), a fã ardorosa, supostamente trabalha como ghost writer, mesma profissão do protagonista de O Escritor Fantasma; e a dinâmica entre duas personagens que trafega entre a sedução e o risco de morte remete tanto a A Pele de Vênus, no qual um diretor de teatro é conquistado e manipulado por uma atriz (interpretada, aliás, por Seigner) que ele testa, quanto a A Morte e a Donzela (1994), que tem no centro de sua narrativa o reencontro entre uma ex-guerrilheira e seu torturador, com ela invertendo os papeis exercidos no passado. No entanto, não há em Based on a True Story a dubiedade da relação entre diretor e atriz num palco, que abre espaço para um comentário sobre a dominação masculina, tampouco a caminhada pelas zonas cinzentas comportamentais diante do ato de vingança contra um criminoso bárbaro. O subtexto proposto agora por Polanski é outro, mas desenvolvido de maneira bastante frágil.

Emmanuelle Seigner as Delphine Darieux and Eva Green as Her in Roman Polanski's BASED ON A TRUE STORY.

Emmanuelle Seigner as Delphine Darieux and Eva Green as Her in Roman Polanski’s BASED ON A TRUE STORY.

Interessa aqui ao diretor (também autor do roteiro, ao lado de outro grande nome do cinema contemporâneo, o francês Olivier Assayas) falar da criação artística, das origens possíveis da inspiração para o nascimento de uma obra e dos embates internos enfrentados pelos artistas. Daí as duas protagonistas estarem o tempo todo discutindo a natureza do próximo livro de Delphine (Seigner), se um retorno à ficção ou um mergulho mais profundo em aspectos de sua autobiografia. Fica claro, muito rapidamente, o verdadeiro papel de Elle na narrativa de Based on a True Story, com o pequeno truque de roteiro do final soando não só óbvio, como esperado.

Mas, ainda assim, talvez fosse possível tornar minimamente prazerosa a experiência com o filme, caso Polanski conseguisse imprimir a ele um ritmo mais ágil, uma atmosfera mais tensa e um maior esmero visual. Nada disso acontece: Based on a True Story consegue a proeza de ser chato, com seu tom monocórdico, além de visualmente burocrático. Resta a sensação de que diretores como Brian De Palma e Paul Verhoeven, considerando inclusive seus últimos filmes (Passion, de 2013, e Elle, de 2016, respectivamente), conseguiriam extrair algo de mais vivo desse material barato e mal acabado.

 

Avaliação Wallace Andrioli

Nota 2