Berlinale 2017: ‘Una Mujer Fantástica’ perde a chance de fazer história

Longa saiu da Berlinale com o Teddy Award e uma menção honrosa do Prêmio do Júri Ecumênico.

por

18 de fevereiro de 2017

Neste sábado, dia 18, foi realizada a cerimônia de premiação do Festival de Berlim no Berlinale Palast, mas a derrota de “Una Mujer Fantástica” na disputa pelo Urso de Ouro de melhor filme surpreendeu bastante. Laureado com o prêmio de melhor roteiro, sua vitória na categoria principal poderia marcar época não apenas na história do Festival de Berlim, mas do cinema porque este longa chileno é protagonizado por uma atriz trans, Daniela Vega, e fala sobre a homofobia contra uma mulher trans. “Una Mujer Fantástica” saiu da Berlinale com o Teddy Award e uma menção honrosa do Prêmio do Júri Ecumênico. No geral, a premiação deste ano foi um festival de equívocos que denigre a possibilidade da Berlinale quebrar preconceitos e desafiar tabus, que é a sua vocação.

Confira outros vídeos no canal oficial do Almanaque no YouTube:

https://www.youtube.com/user/almanaquista