Boneco de Neve

Adaptação de best seller decepciona, e muito, o espectador que espera um grande suspense policial

por

25 de novembro de 2017

Baseado no best seller homônimo do norueguês Jo Nesbø, “Boneco de Neve” é uma adaptação cinematográfica bem pouco fiel ao sétimo livro da série do detetive Harry Hole, interpretado por Michael Fassbender, que ultimamente vem escolhendo mal seus trabalhos, a exemplo de “Assassin’s Creed” e “Alien: Covenant”. Na trama, uma mulher desaparece deixando como única pista um cachecol envolto num misterioso boneco de neve virado para sua casa. Após começar com suas investigações, o detetive Harry Hole percebe que o crime parece ser obra de um serial killer, e não vai descansar até encontrá-lo.

The Snowman

Com roteiro escrito a seis mãos por Peter Straughan (“O Espião que Sabia Demais” e “Frank”), Hossein Amini (“Drive”, “Branca de Neve e o Caçador”) e Søren Sveistrup (“Quando o Dia Chegar”), o longa dirigido por Tomas Alfredson (“O Espião que Sabia Demais”, “Deixa Ela Entrar”) é um verdadeiro desperdício de talentos com personagens mal desenvolvidos e sem aprofundamento, que tem como consequência grande parte das atuações apenas correta e sem brilho, tornando uma tarefa árdua, quiçá impossível, para o espectador se envolver ou se identificar com qualquer um deles. A falta de química entre os personagens é outro problema que acomete o elenco: a interação de Hole é ruim tanto com a sua dupla investigativa, a agente novata Katrine Bratt (Rebecca Ferguson), quanto com Rakel (Charlotte Gainsbourg), seu interesse romântico.

Somado a tudo isso, o ritmo arrastado de “The Snowman” (no original) contribui bastante para que o espectador perca o interesse na tela. O filme começa bem ao mostrar a infância do assassino, mas logo o roteiro mal escrito, confuso e cheio de furos mostra a que veio – Harry Hole surge na sarjeta gélida sem motivo ou aparência tão ruim para quem passou a noite na rua. As pistas sobre o assassino são quase nulas, o espectador não consegue sentir um clima de tensão ou até medo do assassino e há ausência de clímax, o que é um enorme problema num filme de suspense policial. A resolução da trama vem de repente e se desenvolve rapidamente de forma bem mediana e sem empolgação. Apesar da bela fotografia das inóspitas paisagens nevadas da Noruega, onde o filme foi inteiramente rodado às pressas – e, ao que tudo indica, partes do roteiro não foram gravadas, o que pode ser um dos motivos da grande falta de coerência na história –, “Boneco de Neve” falha miseravelmente por ser uma péssima adaptação de uma história com tanto potencial, um bom diretor e um elenco de peso. Uma enorme decepção, principalmente para quem leu um livro tão elogiado.

 

Boneco de Neve (The Snowman)

EUA / Reino Unido / Suécia – 2016. 119 minutos.

Direção: Tomas Alfredson

Com: Michael Fassbender, Rebecca Ferguson, Charlotte Gainsbourg, Jonas Karlsson, J. K. Simmons e Chloë Sevigny.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 2