Cannes anuncia os curtas em competição e confia a Philippe Garrel a tarefa de abrir a Quinzena dos Realizadores

Novo longa do diretor de 'Amantes constantes' vai abrir a tradicional seleção paralela do festival, que anuncia amanhã os longas indicados à Palma de Ouro de 2015: especula-se sobre a presença de Babenco, Gus Van Sant e Nanni Moretti

por

15 de abril de 2015

l'ombre des femmes

Faltam poucas horas para o anúncio da seleção competitiva de longas-metragens do 68º Festival de Cannes (13 a 24 de maio), mas o evento já antecipou esta manhã algumas iguarias de seu cardápio. Uma delas é a seleção de curtas em disputa pela Palma dourada, que incluiu um único título latino-americano (da América do Sul) em seu certame: o argentino “Presente imperfecto”, de Iair Said. Concorrem com ele “Waves’ 98” (Líbano, Qatar), de Ely Dagher; “The guests” (Austrália), de Shane Danielsen; “Sali” (Turquia/ França), de Ziya Demirel; “Le repas dominical” (França), de Céline Devaux; “Love is blind” (Reino Unido), de Dan Hodgson; “Ave Maria” (Palestina, França, Alemanha), de Basil Khalil; “Copain” (Bélgica), de Jan e Raf Roosen; e “Patriot” (Reino Unido), de Eva Riley. Foi anunciada ainda a atração de abertura da Quinzena dos Realizadores, mostra paralela à corrida pela Palma. Seu abre-alas ficou sob a responsabilidade do diretor francês Philippe Garrel e seu “L’ombre des femmes” (na foto). O roteiro é assinado por Garrel e pela divindade Jean-Claude Carrière e aborda um triângulo amoroso regado a culpa – o tema mais atraente ao universo do realizador de “Amantes constantes”.

O amigo hindu

Amanhã serão conhecidos os longas que vão correr atrás da Palma. Especula-se na Europa que o Brasil terá lugar graças ao novo projeto de Hector Babenco: “O amigo hindu”, com Willem Dafoe (na foto), mas nada é certo. Fala-se ainda de filmes inéditos do americano Gus Van Sant (“The sea of trees”), do sérvio Emir Kusturica (“On the Milky Road”), do sino-taiwanês Hou Hsiao-Hsien (“The assassin”), dos italianos Nanni Moretti (“Mia madre”), Paolo Sorrentino (“La giovinezza”) e Matteo Garrone (“Il racconto dei racconti”), mais o português Miguel Gomes (“As 1001 noites”).