Casa de Antiguidades

Filme hermético

por

04 de novembro de 2020

“Casa de Antiguidades”, dirigido por João Paulo Miranda Maria em seu primeiro longa, foi nosso único representante brasileiro selecionado para o Festival de Cannes em 2020. E, mesmo que o Festival tenha acabado não acontecendo, só o fato de ter entrado na seleção oficial já é um grande prestígio e criou grande expectativa para sua primeira exibição brasileira na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

A história segue Cristovam, natural do sertão brasileiro, que trabalha numa fábrica de leite em uma ex-colônia austríaca no Brasil. Ele se sente solitário, condenado ao ostracismo pelas diferenças culturais e étnicas. Um dia, ele descobre uma casa abandonada repleta de objetos que o lembram de suas origens. Ele se instala lentamente nesta casa. Curiosamente, mais objetos começam a aparecer sem explicação, como se o lugar fosse “vivo”. O filme também conta com a atriz e diretora Ana Flavia Cavalcanti no elenco.

Embora tenha uma atuação poderosa e espiritual da lenda Antônio Pitanga, o filme é simplesmente inacessível e desorientado. Porém, o filme vem ganhando reconhecimento para além da seleção de Cannes, como o prêmio Roger Ebert na competição de novos diretores, além de ter participado também do TIFF – Festival Internacional de Cinema de Toronto.