Cine PE 2017: ‘O Caso de Dionísio Díaz’

Dirigido por Fabiana Karla e Chico Amorim, o longa recebeu diversas críticas no festival.

por

05 de julho de 2017

Destaque da noite do último domingo, dia 02, “O Caso Dionisio Díaz” (2017) leva para as telas a história real de um menino de nove anos que mesmo ferido caminhou quilômetros para salvar a si próprio e à sua irmã, à época com um ano de idade. Apesar de ser um média-metragem, o filme foi selecionado para a Mostra Competitiva de Longas-Metragens da 21a edição do Cine PE.

Os diretores Fabiana Karla e Chico Amorim (Foto: Divulgação).

Os diretores Fabiana Karla e Chico Amorim (Foto: Divulgação).

Com direção da atriz e comediante Fabiana Karla e de seu primo, Chico Amorim, este documentário utiliza sequências de “El pequeño héroe del Arroyo del Oro” (1933) à exaustão para ilustrar a tragédia que abalou o Uruguai, intercaladas com depoimentos de pura devoção de pessoas que o consideram herói e santo. E é exatamente neste ponto que consiste um dos maiores problemas do média-metragem: a preguiça.

Preguiça por não estruturar dignamente o roteiro e por utilizar tais sequências de uma produção precária ao invés de reconstituir os fatos de acordo com a documentação existente e de depoimentos de pessoas que conviveram com o menino, assassinado em maio de 1929. A situação se agrava a partir do momento em que não há a menor vontade de conflitar o mito do “menino santo” com as dúvidas acerca da veracidade de sua história. Com isso, não abraça somente a preguiça, mas também o desleixo para com a história que pretende contar.

Com uma roupagem de trabalho de conclusão de curso que nem por milagre o aluno responsável atingiria a nota mínima para se formar, embalada por uma trilha sonora instrumental piegas, “O Caso Dionísio Díaz” se preocupa mais em venerar o menino e o mito do que em apresentar um material condizente com um documentário, tornando-se absurdamente falho como exemplo deste gênero cinematográfico.

Avaliação Ana Carolina Garcia

Nota 1