Cine PE divulga seleção oficial

A 21ª edição do CINE PE será realizada entre os dias 27 de junho e 03 de julho.

por

08 de junho de 2017

Depois do adiamento causado pela retirada de sete filmes de sua programação, motivada por diferenças ideológicas de cineastas que não aceitaram ter seus trabalhos no mesmo evento que “O Jardim das Aflições” (2017) e “Real – O Plano por Trás da História” (2017), considerados de “direita”, o Cine PE ajustou os ponteiros, definiu nova data (27 de junho a 03 de julho) e anunciou nesta quinta-feira, dia 08, a nova seleção oficial.

O tradicional Cinema São Luiz é a sede do evento Foto: Divulgação (Crédito: Daniela Nader).

O tradicional Cinema São Luiz é a sede do evento Foto: Divulgação (Crédito: Daniela Nader).

Realizada no tradicional Cinema São Luiz em Boa Vista, na região central de Recife, a 21a edição do evento respeitou a ordem classificatória da curadoria para recompor sua grade. Com isso, de acordo com a organização, a Mostra Competitiva de Longas-Metragens reúne seis filmes nacionais, entre ficção e documentário; a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos apresenta oito títulos; e a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais conta com 12 filmes.

“Apesar de todos os atropelos ocorridos para celebrarmos a 21ª edição do CINE PE estamos firmes e fortes para realizarmos o festival. Saudamos a todos que contribuem com gestos e palavras para o engrandecimento e a sua renovação. Ratifico o compromisso com a pluralidade das ideias para a cultura e, em especial, para o audiovisual. Ratifico o nosso compromisso com os patrocinadores e com o público, presença sempre marcante em todas as edições” diz Sandra Bertini diretora do CINE PE, cujas exibições serão marcadas por legendas para atender à fatia do público com deficiência auditiva.

O 21º Cine PE tem curadoria do ator, diretor e produtor de cinema Bruno Torres, da escritora e professora de cinema Amanda Mansur e do documentarista e professor do curso de Cinema e Audiovisual da UFPB Matheus Andrade.

 

Mostra Competitiva de Longas-Metragens:

– “O Crime da Gávea”, de André Warwar (RJ);

– “Borrasca”, de Francisco Garcia (SP);

– “Toro”, de Edu Felistoque (SP);

– “Los Leones”, de André Lage (MG);

– “O Jardim das Aflições”, de Josias Teófilo (RS);

– “O Caso Dionisio Diaz”, de Chico Amorim e Fabiana Karla (RJ), que deixa a Mostra Hors-Concours e passa a fazer parte da mostra competitiva.

Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos:

– “Los Tomates de Carmelo” (PE), de Danilo Baracho;

– “Almas Secas” (PE), de Elvis Miranda e Helena Ferreira;

– “Marina e o Passarinho Perdido” (PE), de Marcos França;

– “Soberanos da Resistência” (PE), de Marcus Paiva;

– “Aqui Jaz” (PE), de Brenda Ligia Miguel;

– “O Menino do Canto do Mar” (PE), de Ulisses Andrade;

– “Autofagia” (PE), de Felipe Soares;

– “Entre Andares” (PE), de Aline van der Linden e Marina Moura Maciel.

Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais:

– “Diamante, o Bailarina” (SP), de Pedro Jorge;

– “O Ex-Mágico” (PE), de Olimpio Costa e Mauricio Nunes;

– “Luiza” (PR), de Caio Baú;

– “Dia dos Namorados” (RS), de Roberto Burd;

– “Retratos da Alma” (DF), de Leo Bello;

– “Peleja do Sertão” (CE), de Fábio Miranda;

– “Mulheres Negras: Projetos de Mundo” (SP), de Lucas Ogasawara;

– “Quando os Dias Eram Eternos (SP), de Marcus Vinícius Vasconcelos;

– “O Tronco” (SP), de Leonardo Rocha e Luna Grimberg;

– “Sal” (SP), de Diego Freitas;

– “José” (DF), de Fernando Gutiérrez e Gabriel Ramos;

– “Aqueles Anos em Dezembro” (SP), de Felipe Arrojo Poroger.

Mostra Hors-Concours:

– “Real – O Plano por Trás da História” (SP), de Rodrigo Bittencourt;

– “Atum, Farofa & Spaghetti” (SP), de Riccardo P. Rossi;

– “Duas Mulheres” (PE), de Marcelo Bren.