Circo Teatro- Mão Molenga

Espetáculo brejeiro nos leva ao mundo dos mamulengos com o palhaço Biribinha e sua amiga Pipoca

por

20 de outubro de 2015

Toda a brejeirice, e a picardia, do teatro mamulengo foi possível apreciarmos no 8o FENATIFS, na apresentação do espetáculo “O Circo Teatro – Mão Molenga” da Turma do Biribinha. Realizado no Teatro Semi-Arena onde fica a sede da Cia Cuca de Teatro, a peça é dividida por duas histórias e uma cena de cortina -o famoso intermezzo– onde os números de distração eram criados para se entreter a plateia durante a troca de atos e cenários. Na primeira história vemos pequenos números de circo, com um trapezista em um delicioso boneco de articulação Mané Gostoso, banhos de água na plateia, passando por uma mulata de nome “Gisele Bündchen” que mexe, que mexe, com as cadeiras. No intermezzo temos banho jogos com as crianças. Na segunda história vemos o divertido palhaço Biribinha e sua partner Pipoca, são dois palhaçinhos amigos, que se vêm de repente diante de um terrível monstro que tenta separá-los: um chupa cabra!

Mão Molenga 1

Um dos destaques da peça é o fantoche mamulengo da mulata que mexe bem com as cadeiras

Contando com uma empanada bem característica dos circo-teatros mambembes, a cenografia expressa bem a cultura destes preciosos fantoches oriundos de Pernambuco. A confecção dos bonecos retrata bem as mazelas e as cores locais de onde os bonecos são originários: peraltas, divertidos, maliciosos e brincalhões. A manipulação dos mesmos pelo palhaço Biribinha e pela palhaça Pipoca é bastante ágil e precisa, valorizando os espaços em que a encenação pode permitir o seu bom uso. Tudo se encaixa bem na proposta, desde os coloridos e volumosos figurinos, até a boa trilha sonora. O ponto alto da peça é a aparição dos palhaços em tamanho real e com os figurinos idênticos aos dos bonecos mamulengos manipulados pelas mesmas personagens.

Biribinha (1)

O importante palhaço Biribinha em ação no espetáculo “Circo-Teatro Mão Molenga”

É muito bom podermos ver sempre um teatro de títeres com estes fantoches mais que especiais da nossa cultura pernambucana e brasileira.

Avaliação Ricardo Schöpke

Nota 4