Coração de Cachorro

Uma incrível jornada dentro da psiquê humana através de seu contato canino com a essência mais basilar a todos os seres vivos: aceitar a morte é libertar o amor

por

09 de agosto de 2016

546512245_1280x720

Sim, o amor de muitas pessoas por seus cães às vezes humaniza o ‘melhor amigo do homem’ como um membro da família, equivalente ou superior a qualquer bípede consanguíneo. Há uma pureza e inocência eterna neles que não se perde nunca ao envelhecer. Pode parecer exagero, e até projeção psicológica de alguma carência na vida daquela pessoa. Porém, como um espaço afetivo, pode ser usado como qualquer outra fonte material de inspiração para se criar um produto de arte. E quem diria que logo Laurie Anderson, a viúva de um dos maiores ícones do rock, Lou Reed, falecido em 27/10/2013, iria alcançar um estudo tão sublime da alma humana não através de um réquiem para o marido, mas para seu cão, em um dos documentários mais liricamente inovadores que parece guiar sua narrativa através de pura poesia.

phpThumb

Com um conjunto de imagens ora de arquivo ora abstratas, mas todas em consonância estética, demonstra claramente sua raiz de artista plástica em formatos multimídias, inclusive musicais como os de seu saudoso esposo. Ela gostava de experimentar e ousar, fragmentar, e discutir o papel da tecnologia nas relações humanas. Eis que ao debater a perda de seu cão em 2011, ela alcança uma lacuna a ser preenchida por todos nós, onde “aceitar a morte é libertar o amor”, nas palavras da própria realizadora. Ela filosofa as imagens que reúnem belissimamente fotos de infância em família e com seu cão, com uma técnica que as coloca em movimento, como se fossem desenhos estáticos se mexendo quadro a quadro como pinceladas de uma pintura. Nisto há mistura de técnicas ‘stop-motion’ onde cada imagem é animada quadro a quadro, com a técnica de rotoscopia, caracterizada por se desenhar por cima da imagem capturada pela câmera. Há também imagens mais abstratas, como orvalhos de chuva escorrendo como lágrimas do tempo pela tela, ou copas de árvore balançando folhas invernais de despedida. O vento e o céu, elementos naturais, são intrínsecos à catarse subjetiva a que ela pretende levar o espectador. Até animações em rascunhos rabiscados elevam a perspectiva da imaginação do espírito humano em sintonia com a narração suave e hipnótica de sua diretora.

15294374

Uma incrível jornada dentro da psiquê humana através de seu contato canino com a essência mais basilar a todos os seres vivos: o amor à existência. Para os fãs ou não de cachorro, ou simplesmente da arte cinematográfica na forma mais pura e criativa.coracaodecachorro3 download


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52