Corações Livres

Dogma 95 relativizado

por

06 de janeiro de 2019

“Corações Livres” de 2002 é um filme de Susanne Bier, mesma diretora do sucesso “Bird Box” da #Netflix, com Sonja Richter, Mads Mikkelsen, Nikolaj Lie Kaas, Paprika Steen.

Filme interessante, mas que subaproveita seu potencial. Uma questão que talvez ainda não se pensasse naquele momento com o mesmo foco que agora, especialmente para uma cineasta inserida no Clube do Bolinha do movimento Dogma 95 na Dinamarca, é a representação de suas personagens femininas. Às vezes chega a ser penoso ver o drama de duas mulheres tão fortes através apenas do desenvolvimento do arco narrativo dos homens, cujas falhas de caráter ou personalidade deles nas relações a dois não compensam a negligência em desenvolver melhor suas contrapartes. E para um filme ainda teoricamente inserido nas regras do Dogma, as desculpas utilizadas para burlar algumas regras soam um pouco artificiais ou piegas, como usar sempre um fone de ouvido para poder inserir a música que quiser na trilha sonora e fingir que seja diegética…especialmente quando as músicas só possuem lógica em relação a quem está escutando e invadem na montagem as cenas de outros personagens que não possuem envolvimento com o tom dado.

Ainda assim, um filme curioso sobre um tema inusitado (ainda que pudesse ser melhor trabalhado), que é quando um atropelamento deixa tetraplégico rapaz com toda a vida pela frente. A partir daí, ele irá afastar sua jovem noiva para que ela não perca a vida dela também cuidando dele. Porém, a confusão começa realmente quando a jovem acaba se envolvendo com o casal que atropelou seu noivo…

#BirdBox #birdbox #SusanneBier