Debate sobre “Alguma Coisa Assim” no Festival do Rio 2017

Filme surpreendeu, indo além do gênero e tratando de temas difíceis com propriedade

por

14 de outubro de 2017

A sessão de “Aguma Coisa Assim” teve debate com equipe e elenco do filme (destaque para a cada vez mais maravilhosa Caroline Abras), cuja cobertura filmada estará em breve no Almanaque Virtual. Mediação por Luisa Clasen (Lully de Verdade)

“Alguma Coisa Assim” de Esmir Filho e Mariana Bastos é o longa surpresa que o cinema comercial autoral brasileiro deveria sempre almejar ser. Consegue ser belo e divertido, além de alcançar substrato em temas difíceis de serem abordados com tanta propriedade, como um modelo de família “fora do padrão de família brasileira” tanto pró Queer quanto pró conscientização do direito de escolha ao aborto, numa analogia com o sistema legal adotado na Alemanha e também com o direito de inseminação e outras técnicas para casais do mesmo sexo, biologicamente falando.

O longa foi precedido do curta “Vaca Profana” de René Guerra com atuações soberbas da dupla Maeve Jinkings e Roberta Gretchen, que é o melhor curta que assisti em todo o Festival! E contém ao menos duas sequências antológicas!