‘Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) – O Filme’

Dirigido por André Pellenz, longa estreia nesta quinta-feira, dia 13.

por

13 de julho de 2017

Muito antes do mundo da bruxaria de Harry Potter dominar o mercado infanto-juvenil, uma outra bruxa aterrorizava a criançada na literatura brasileira: a Cuca, um jacaré-fêmea com cabelo comprido e franja, mexia com o imaginário e a obra de Monteiro Lobato encantava gerações com o auxílio de Narizinho, Pedrinho, Emília e Visconde. Hoje é uma turma urbana, que conseguiu grande sucesso na televisão, e agora também encara os desafios da bruxaria no cinema. Dirigida pelo mesmo responsável pelo produto na TV, André Pellenz, estreia “Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) – O Filme” (2017), baseada na série Detetives do Prédio Azul.

O trio de detetives do Prédio Azul (Foto: Divulgação).

O trio de detetives do Prédio Azul (Foto: Divulgação).

Ambientada no Rio de Janeiro, a trama mostra Pippo (Pedro Henriques Motta), Sol (Letícia Braga) e Bento (Anderson Lima), os “detetives do prédio”, investigando uma festa organizada pela síndica, Dona Leocádia, uma bruxa de muitas habilidades e que curte ser megera, ou como prefere dizer, autêntica. As crianças suspeitam daquela comemoração, cheia de convidados esquisitos, quando a luz do prédio é desligada. No dia seguinte, o Prédio Azul, amanhece rachado e ameaçado de demolição. As crianças-detetives vão atrás de pistas para desvendar o mistério dos bruxos da festa e salvar o prédio.

O roteiro, de Flávia Lins e Silva e L.G. Bayão, viaja por fórmulas conhecidas, que funcionam no universo infantil. Bichos falantes, raios coloridos, vilões disfarçados e perseguições comandam a ação com bom humor e ritmo. Os efeitos visuais estão na medida para o encantamento.

A festa de Dona Leocádia (Tamara Taxman), bruxa e síndica do Prédio Azul (Foto: Divulgação).

A festa de Dona Leocádia (Tamara Taxman), bruxa e síndica do Prédio Azul (Foto: Divulgação).

No elenco, diversão garantida com Tamara Taxman, como a bruxa Leocádia, e Charles Myara, como Teobaldo, entre os maiores destaques.

Em “Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) – O Filme” é inevitável a conexão com o filme “Aquarius” (2016), de Kléber Mendonça Filho, pelo empenho dos moradores em salvar o prédio azul que tanto significado tem na vida de cada um. Com realidade ou magia, a mensagem é: lutar pelo que é certo com espírito de aventura.

Avaliação Ana Rodrigues

Nota 4