Dicas do 20° Festival do Rio 2018

Filmes que o Almanaque Virtual ainda não conferiu, mas anseia por conferir

por

02 de novembro de 2018

Em relação às dicas para a edição comemorativa do 20° Festival do Rio l Rio de Janeiro Int’l Film Festival, para além das já pautadas com links e críticas pelo Almanaque mais cedo, Só acrescentando que, para além das repetições dos sucessos da 42° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo como do IMPERDÍVEL “Assunto de Família”, que ganhou a láurea máxima da Palma de Ouro em Cannes, e “Cafarnaum”, premiado com 3 láureas em Cannes, pelos quais ainda não terminamos os textos, e “Infiltrado na Klan” e “Em Chamas” que ainda iremos conferir, indicamos outros que também não vimos ainda, mas ansiamos:

Há exclusividades no Festival do Rio e outros que não vi na Mostra que também indico:

“Culpa”

“A Valsa de Whaldeim” (doc sobre tudo a ver com o q passamos agora)

“O que você vai fazer quando o mundo estiver em chamas” (todos dizem ser fodaaaaa)

Vou ver Godard aqui “Imagem e Palavra” (vou arriscar dar mais uma chance a Godard porque AMEI demais “Adeus à Linguagem”)

O novo Assayas “Vidas Duplas” com Binoche também deixamos pra ver aqui no Rio.

“Vermelho Sol” que tambem não vimos na Mostra.

“Peterloo”

E as exclusividades do Rio:

“PÁSSAROS DE VERÃO”

“Se a Rua Beale Falasse” do Barry Jenkins de Moonlight

“As Viúvas” do Steve Mqueen do “Shame” e “12 anos de Escravidão”

“À pé ele não vai longe” — novo Gus Van Sant, vi em Berlim, com Joaquim Phoenix e acho a 1a metade da montagem brilhante mas encareta a 2a metade.

“A Cama”

“A Camareira”

“As filhas do Fogo”

“Três Estranhos Idênticos”

“O Favorito”

“O Ódio que você semeia”

“A Queda do Império Americano”

“Obscuro Barroco”

Além de todos da Première Brasil e Novos Rumos e Doc que não tenhamos visto em outros Festivais