Dois Amigos

Louis Garrel marca sua estreia na direção e no roteiro com um filme reflexivo e divertido

por

04 de dezembro de 2015

Mais conhecido pela atuação no filme “Os Sonhadores” (2003), de Bernardo Bertolucci, o francês Louis Garrel agora estreia como diretor e roteirista de seu primeiro longa-metragem, “Dois Amigos”. Adaptada livremente da peça “Les Caprices de Marianne”, de Alfred de Musset, a trama se centraliza num triângulo amoroso à francesa, em que Mona (Golshifteh Farahani) chega para testar a forte amizade entre Clément (Vincent Macaigne) e Abel (Louis Garrel).

Por se tratar de uma história de amor a três, é difícil não pensar no clássico de François Truffaut, “Jules e Jim – Uma Mulher Para Dois” (1961). Há algumas semelhanças, é verdade, mas aqui Garrel subverte os papeis de gênero – se Clément é completamente frágil e Abel é um homem sensível mesmo sem demonstrar, Mona é uma mulher forte e corajosa, que enfrenta o sistema carcerário ao infringir o seu regime semiaberto. Clément se apaixona perdidamente por ela depois de uns poucos encontros e pede ajuda do melhor amigo Abel para conquistá-la. Começa aí uma disputa silenciosa pelo amor da bela.

Com um ótimo equilíbrio entre drama, romance e comédia, Louis Garrel não decepciona em “Les deux amis” (no original), seja atuando ou dirigindo, e entrega ao público um filme delicado que discute o valor dos sentimentos e das virtudes no mundo moderno e a efemeridade dos bons momentos. Ao mesmo tempo que há personalidades contrastantes no trio, há também conflitos internos que se completam e afinidades que se chocam. Garrel, que zomba de sua própria fama de galã no roteiro escrito com Christophe Honoré (“Bem Amadas”), e Vincent Macaigne dão vida aos homens de alma feminina, amigos que mais parecem um casal, de forma leve com uma boa dose de caricatura, enquanto cabe à iraniana Golshifteh Farahani interpretar a mulher de espírito livre, mas presa à dura realidade, que vai libertando a sua ousadia ao longo da trama, como no excelente “A Pedra da Paciência” (2012).

“Dois Amigos” é a confirmação de que um ótimo ator pode se tornar um ótimo cineasta. Louis Garrel prova que o talento para cinema veio de família, e não poderia ter marcado melhor a sua estreia atrás das câmeras.

Dois Amigos (Les deux amis)

França – 2015. 100 minutos.

Direção: Louis Garrel

Com: Louis Garrel, Vincent Macaigne e Golshifteh Farahani.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 4