Dois lados do amor

"A tragédia é um país estrangeiro e não se sabe o que dizer aos nativos"

por

13 de março de 2015

Projeto que debuta a carreira de Ned Benson como diretor e roteirista de longas-metragens, “The Disappearance of Eleanor Rigby” foi originalmente exibido no Festival de Cinema de Toronto 2013 em duas partes, uma contada a partir do ponto de vista dela e outra, do ponto de vista dele. Porém, “The Disappearance of Eleanor Rigby: Her” e “The Disappearance of Eleanor Rigby: Him” foram reunidos numa só película, tornando-se o que é provavelmente a versão definitiva desse drama – “The Disappearance of Eleanor Rigby: Them”, que ganhou o título em português de “Dois lados do amor”.

Dois Lados do Amor11

A trama acompanha Eleanor Rigby (Jessica Chastain) – que ganhou esse nome por causa da música dos Beatles – e Conor Ludlow (James McAvoy), que já foram um casal apaixonado e agora tentam se reconstruir após uma tragédia que devastou suas vidas e deu fim ao seu relacionamento. O problema é que Eleanor tentou se suicidar e sumiu da vida de Conor sem deixar rastros ou justificativas, deixando-o completamente atordoado. Enquanto ela tenta esquecer a vida que levava antes da dita tragédia e volta para a faculdade sem um rumo certo, ele tenta localizá-la a todo custo para entender a razão de seu desaparecimento repentino, ao mesmo tempo em que precisa se preocupar com a situação desfavorável na qual seu bar se encontra.

Dois Lados do Amor2

Como diretor, Benson é imparcial e se coloca como espectador da complicada relação de Conor e Eleanor. Ele trata seus personagens com cuidado e respeito, e mostra como cada um lida com a tragédia e o luto. Reflexivo e seco, o filme trata o amor como algo sério, sem sentimentalismos ou excessos. O amor em “The Disappearance of Eleanor Rigby: Them” (no original) é contido, sufocado pela fatalidade que acometeu a vida do casal e de suas famílias; mas ele ainda existe. A questão é como levá-lo depois da perda e como retomá-lo depois do rompimento abrupto.

Dois Lados do Amor5

Apesar do que o título nacional parece sugerir, “Dois lados do amor” não é um filme romântico, e sim um quebra-cabeça sentimental que vai gradativamente ganhando forma para o espectador à medida que o elenco coadjuvante de peso, encabeçado pelas talentosas Viola Davis e Isabelle Huppert (respectivamente professora e mãe de Eleanor), interfere na vida dos protagonistas. É um drama melancólico, onde os sentimentos ficam encobertos pela dor e vão se mostrando aos poucos. Chastain e McAvoy, possivelmente nas melhores atuações de suas carreiras, conseguiram construir personagens densos e possuem uma ótima interação em cena como belo e jovem casal no meio de uma crise pessoal e conjugal. O maior erro do longa de Benson é a sua extensa duração de 123 minutos, pois, devido à sua característica bastante reflexiva e seu ritmo lento, acaba por torná-lo arrastado e cansativo a partir da metade da projeção. Ainda assim, “Dois lados do amor” é um interessante estudo da solidão, da depressão, da luta diária pela superação de um trauma e, também, de relacionamentos.

  • James McAvoy
  • Jessica Chastain e Viola Davis
  • Jessica Chastain e James McAvoy
  • Jessica Chastain

 

Dois lados do amor (The Disappearance of Eleanor Rigby: Them)

EUA – 2014. 123 minutos.

Direção: Ned Benson

Com: Jessica Chastain, James McAvoy, Viola Davis, Isabelle Huppert, Jess Weixler, Bill Hader, William Hurt e Ciarán Hinds.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52