Entrevista com Beatriz Seigner sobre “Los Silencios”

Laureada no Festival com o prêmio de melhor direção e Prêmio Abraccine de melhor filme, Beatriz fala sobre a coprodução internacional com vários países da América Latina

por

02 de outubro de 2018

ls_still_bloco_ii_print-101

A diretora Beatriz Seigner fala um pouco sobre seu filme “Los Silencios”, que concorreu no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e levou os prêmios de melhor direção pelo Júri oficial e melhor filme pelo Júri Abraccine da Crítica (composto por Samantha Brasil, Bianca de França Zasso, Luiz Joaquim, Marco Antônio Moreira e Felipe Moraes).

20180922_153624

A cineasta fala um pouco para o almanaquista Filippo Pitanga sobre a coprodução com outros países da América Latina ou mesmo com membros de nacionalidades latinas variadas na equipe e elenco, bem como sobre trazer à tona uma região desconhecida para o grande público, a Ilha da Fantasia, na fronteira com a Amazônia, onde vários refugiados de conflitos armados em suas respectivas nações vão procurar por paz e preservação de sua memória cultural e espiritual — cheia de belíssimo misticismo e magia. Isso tudo à luz do novíssimo prêmio que a diretora ganhou de Cooperação Espanhola no festival de San Sebastián, vide a justificativa do prêmio:

“Cooperação Española Award ao produtor do filme iberoamericana (incluindo espanhol e português) fazendo a melhor contribuição para o desenvolvimento humano, a erradicação da pobreza e o pleno exercício dos direitos humanos…. Este acordo entre o festival de San Sebastian e a agência espanhola para a cooperação internacional para o desenvolvimento (aecid) tem por objetivo reforçar o empenho de ambas as partes em trabalhar em conjunto com a indústria audiovisual ibero-Americana, a fim de promover novos talentos, fomentar a produção de projetos de cinema E fortalecer a comercialização e a internacionalização dos filmes.”