Esperando Acordada

por

19 de agosto de 2016

Em 2010, a atriz francesa Isabelle Carré estrelou a comédia romântica “Românticos Anônimos”, em que interpreta uma mocinha tímida, introvertida e amável que se apaixona por um homem improvável, mas com quem compartilha o mesmo amor pelo chocolate. Em “Esperando Acordada”, Carré parece retomar a personagem na pele de Perrine, uma jovem musicista quase profissional (em sua própria definição) que anima festas infantis e lares para idosos para pagar as contas. Ao pedir informação quando perdida no caminho para um desses eventos, ela sem querer assusta um homem, que cai numa caçamba e acaba em coma no hospital por bater a cabeça. Morrendo de culpa, Perrine decide visitar diariamente o desconhecido, cuidar de seu apartamento e passa a fazer parte de sua vida de uma maneira que complica a sua própria com tantas mentiras. O que ela tem em comum com este homem? O amor pela música.

Em sua estreia como roteirista (com Michel Leclerc) e diretora de longa-metragem, Marie Belhomme cai no clichê da mocinha atrapalhada de bom coração que tenta encontrar um rumo na vida e se mete em confusões que a ajudam a encontrá-lo. A trivialidade se completa na escalação de atriz Isabelle Carré para o papel principal, que lhe cai como uma luva. A trama, no entanto, é bem conduzida por Belhomme e possui a espanhola Carmen Maura para abrilhantar a tela em algumas cenas.

Como indica o título original “Les Chaises Musicales” (em francês, dança das cadeiras, aquela brincadeira de criança), Perrine precisa vencer diversos obstáculos, como a culpa, o medo e a insegurança de não ter seus atos compreendidos, para finalmente conseguir “sentar na cadeira”, isto é, ter o esperado final feliz. Mais uma vez, vemos uma protagonista aparentemente frágil que se apaixona por um homem em uma circunstância nada convencional. “E quem irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?”, já dizia um verso da banda Legião Urbana. “Esperando Acordada” é aquela típica comédia romântica francesa despretensiosa e que não traz nada de novo, mas que é uma delícia de assistir.

 

 

Esperando Acordada (Les Chaises Musicales)

França – 2015. 83 minutos.

Direção: Marie Belhomme

Com: Isabelle Carré, Carmen Maura, Philippe Rebbot e Nina Meurisse.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3