Existe Cinema isento de qualquer ideologia?

Qual a força política que o cinema possui ou pode vir a ter perante sua plateia?

por

13 de julho de 2020

e9050701-9410-4136-ae1c-f688b631df47

Vou aproveitar e compartilhar com os estimados e estimadas leitoras uma reflexão deste que vos escreve, Já que uma aluna de cinema me perguntou a seguinte questão abaixo a partir da tirinha do Calvin que acompanha essa publicação:

“Isso é possível, um filme isento de qualquer ideologia e/ou perspectiva que nos induza a alguma linha de pensamento?”

São 2 coisas diferentes que estão aludidas aí, na tirinha e na pergunta. E vou responder em 2 partes logo abaixo:

1) As “emoções” a que o personagem Calvin se refere na verdade é ao dirigismo do cinema, ou seja, orquestrar o que você deve sentir em cada hora, com música em excesso, diálogo em excesso que enuncia tudo, deixando pouco espaço pra criação conjunta da plateia. Um argumento crítico bastante deleuziano ao cinema de massas. Filmes que não fazem pensar.

2) Outra coisa é a pergunta da aluna em relação ao filme assumir uma ideologia específica….aí estamos falando de corrente de pensamentos. Quanto a isso vou subdividir de novo em mais 2 respostas:

2.1) todo filme é político. Só não necessariamente toma partidos. Há filmes isentões e outros que assumem uma causa, um engajamento.

2.2) não há problema em relação a isso, “necessariamente”. Aplica-se a mesma regra que falamos deleuziana, de, mesmo assumindo uma corrente ideológica específica, deixar o espectador complementar a catarse, pensar por si próprio, tirar suas próprias conclusões. Isso NÃO é se isentar, e sim evocar e estimular participação conjunta, coletiva, respeitando as potências subjetivas que podem preencher a narrativa com suas respectivas bagagens de vida. Uma mesma história pode não afetar da mesma forma uma mãe viúva de 3 filhos, por exemplo, e um homem solteiro de classe alta, noutro exemplo.
Quanto a todas as demais coisas, cito Paulo Freire SEMPRE: “Tudo é ideológico. A questão é se a sua ideologia é inclusiva ou excludente.”
Se o filme reproduzir uma ideologia que te exclui ou te ofende, você deve usar seu olhar opositivo e combater isso dentro de você, e não se deixar levar e concordar só porque o poder do cinema exerce certa irresistibilidade