Festival do Rio 2016: “Tramps”

Longa é um dos selecionados da Mostra Expectativa.

por

13 de outubro de 2016

Quando se fala em cinema americano, imediatamente pensamos em produções “made in Hollywood”, o que é um erro tremendo, pois não são poucas as vezes que nos deparamos com filmes independentes bastante simplórios em sua concepção, mas que surpreendem por suas tramas envolventes. É o caso de “Tramps” (Idem – 2016), um dos selecionados da Mostra Expectativa do Festival do Rio 2016.

Grace Van Patten e Callum Turner esbanjam carisma em cena

Grace Van Patten e Callum Turner esbanjam carisma em cena.

O longa conta a história de Daniel (Callum Turner), jovem de origem polonesa que se vê obrigado a ajudar o irmão, sob custódia policial por uma noite, em um “negócio” que envolve a troca de uma pasta de conteúdo misterioso. Para isso, precisa se unir à Ellie (Grace Van Patten), uma garota sem nenhuma perspectiva que inicialmente não simpatiza com ele. Mas, a partir do momento em que Daniel erra por falta de atenção, os dois têm de correr contra o tempo para garantir a entrega da pasta.

Dirigido e roteirizado por Adam Leon, o longa apresenta algumas irregularidades em seu roteiro, mas não ao ponto de prejudicar seu resultado final. Isto porque consegue cumprir sua proposta inicial de divertir e encantar a plateia gradativamente, apostando na sutileza do romance entre os jovens e em situações em que a comicidade toma conta da narrativa, utilizando sua trilha sonora com precisão para impulsionar o humor.

Contendo alguns clichês inerentes às comédias-românticas, “Tramps” funciona por ser despretensioso, leve e divertido, tornando-se um bom passatempo, sobretudo, pela química do casal protagonista, dois atores com uma carreira pregressa na televisão, mas ainda novatos na indústria cinematográfica. Callum Turner e Grace Van Patten esbanjam carisma em cena, numa troca constante que transmite ao espectador toda a essência e espontaneidade de seus respectivos personagens.

Avaliação Ana Carolina Garcia

Nota 3