Filmes na Tv

Dicas da programação para este Sábado

por

12 de outubro de 2014

Jards

De Eryk Rocha (Brasil, 2012)

Realizador de filmes com alma de piquete como “Rocha que voa” (2002) e “Intervalo clandestino” (2006), Eryk Rocha conquistou o troféu Redentor de melhor diretor no Festival do Rio de 2012 por este exercício poético perfumado de estranheza sensorial. No filme, o cantor e compositor Jards Macalé arranha um “Ne me quitte pas” num estúdio de gravação, enquanto um grupo de músicos tenta decifrar seu conceito estético para um novo CD. O que parece ser um documentário logo dá lugar a uma espécie de encenação. Rompendo limites entre o real e o ficcional, Eryk investiga os processos criativos de seu biografado, músico que foi um dos maiores amigos do pai do cineasta, o também realizador Glauber Rocha (1939-1981). Violonista de farta destreza, autor de cults da MPB como “Gotham City”, Macalé é apresentado aqui como um artista multifacetado, cuja música tem vertentes que vão do reggae ao blues.

Canal Brasil, 19h

Jards

O sobrevivente

“The running man”. De Paul Michael Glaser (EUA, 1987)

Astro do seriado “Starsky and Hutch” (1975-79), cult na TV americana dos anos 1970, Paul Michael Glaser arriscou-se pela direção quando estava no auge de sua carreira televisiva. Pilotou séries e telefilmes, incluindo em seu currículo sucessos como “Miami Vice” e “Mentes criminosas”. No cinema, sua porção realizador colheu poucos frutos. O mais saboroso deles é esta incursão à obra literária de Stephen King, filmada na Califórnia ao custo de US$ 27 milhões. Sua bilheteria beirou US$ 38 milhões graças ao carisma de Arnold Schwarzenegger, na época em que ainda era uma jovem muralha de músculos transferida da Áustria para Hollywood. Arnoldão interpreta um policial que é incriminado injustamente por um massacre no qual não teve envolvimento. Sua punição é ser colocar em um reality show mortífero, no qual os participantes enfrentam perigos fatais. Enquanto vai derrotando desafio após desafio, o herói se dá conta de que há um movimento rebelde capaz de debelar este esquema de tortura midiática. Maria Conchita Alonso, beldade latina nascida em Cuba e criada na Venezuela, injeta um charme feminino ao longa, cuja trilha sonora é abrilhantada por “(Restless heart) Running away with you”, na voz de John Parr.  

Syfy, 21h30m

O Sobrevivente The Running Man

Um tira da pesada

“Beverly Hills cop”. De Martin Brest (EUA, 1984)

Este clássico da Era Ploc preserva uma inspirada versão brasileira, gravada nos estúdios da Herbert Richers. No Brasil, ouve-se o gênio Mário Jorge dublando Eddie Murphy. Cogita-se que David Cronenberg (“A mosca”) foi cotado para dirigir o filme, mas Martin Brest ficou com o posto. O papel principal, de Axel Foley, detetive de Detroit, foi escrito para atrair Sylvester Stallone, que desistiu do longa de cara. Mickey Rourke, James Caan e até Al Pacino foram cotados como substitutos. Mas Murphy, então uma cria do humorístico “Saturday Night Live”, revelado para Hollywood em “48 horas” (1982), acabou ganhando o personagem. Resultado: um fenômeno de bilheteria, com uma arrecadação global de US$ 316 milhões. Orçada em US$ 15 milhões, a produção foi rodada na Califórnia e em Michigan. E Murphy voltaria a ser Foley em sequências de 1987 e 1994. Aqui, no original, o policial vai a Beverly Hills investigar qual é a ligação do galerista rico Victor Maitland (Steven Berkoff) com a morte de um amigo. Na trilha sonora, “The heat is on”, na voz de Glenn Frey, e “Stir it up”, miada por Patti Labelle , fervem tímpanos. No papel do recepcionista Serge, Bronson Pinchot (de “Primo Cruzado”) tem uma participação hilária.

TCM, 2H10m

Um tira da pesada