Insetos

Espetáculo marca os 30 anos de atividade da Cia dos Atores e será encenado em espaço alternativo no CCBB/RJ

por

13 de abril de 2018

1_Susana Ribeiro_Marcelo Olinto_Marcelo Valle_Cesar Augusto_Crédito Elisa MendesComemorando 30 anos de trajetória, a Cia. dos Atores estreia Insetos em 22 de março, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. Com texto original de Jô Bilac adaptado pela Cia. dos Atores e pelo diretor Rodrigo Portella, a montagem traz quatro fundadores da companhia no elenco: Cesar Augusto, Marcelo Olinto, Marcelo Valle e Susana Ribeiro. A peça ocupará um espaço da instituição normalmente utilizado para exposições: as salas C e D, no segundo andar. As sessões são de quarta a domingo, até o dia 6 de maio. Depois da temporada carioca, “Insetos” seguirá em turnê pelas unidades do CCBB em Brasília (17/5 a 10/6), São Paulo (6/7 a 20/8) e Belo Horizonte (20/9 a 15/10). A peça “Insetos” tem patrocínio do Banco do Brasil.

Repetindo aqui a parceria com a Cia. dos Atores após o sucesso de “Conselho de Classe” (2014), Jô Bilac propôs dar voz aos insetos para este novo espetáculo do grupo. São doze quadros que se entrelaçam formando a narrativa, na qual o autor fala sobre medo e manipulação. Como uma fábula, o texto traça paralelos entre a natureza e questões políticas e sociais da atualidade – evocando comportamentos coletivos e individuais que vão sendo revelados na voz de diferentes insetos: cigarra, gafanhoto, barata, louva-a-deus, besouro, mariposa, borboleta, mosquito, cupim e formiga, entre outros.

Em cena, uma situação de êxodo gera um desequilíbrio imenso na natureza. Há escassez, tirania e guerra. O colapso está instaurado. Os gafanhotos tentam destruir tudo, mas se veem diante de uma nova ordem imposta pelo louva-a-deus. Nesse universo, o olhar sobre o humano ganha uma nova perspectiva, atravessada pela realidade dos insetos. “O Jô usa os insetos na dramaturgia em analogia com personagens da nossa história, situações que estamos vivendo atualmente. Temos figuras do poder, estratos sociais, mas sem uma nomeação direta”, explica Susana Ribeiro. “Queremos usar desequilíbrios da natureza como espelho da sociedade”, comenta Cesar Augusto. “Insetos, novo espetáculo da Cia. dos Atores, juntamente com o Jô Bilac, traz uma reflexão pertinente sobre as questões sociais e políticas contemporâneas utilizando as relações encontradas na natureza. Regularmente, ao longo desses 28 anos, o CCBB apoiou o trabalho de diversas companhias brasileiras de teatro, pois acredita que seus processos de estudo, criação e maturação são valiosos para as artes no nosso país. Firmar mais uma parceria com a Cia., ainda mais na montagem que marca os seus 30 anos, é um enorme prestígio para nós”, afirma Marcelo Fernandes, Gerente Geral do CCBB Rio.

As salas C e D no segundo andar do CCBB, normalmente usadas para exposições, abriga o espetáculo. No amplo espaço, o cenário de Beli Araújo e Cesar Augusto é ocupado por pneus, que criam diferentes quadros para as cenas. Os figurinos de Marcelo Olinto trazem referências ao universo dos insetos – como asas e antenas – mas não são a representação fiel desses bichos. “Essa peça me permite trabalhar o lugar do atrito entre o cômico e o trágico, refletido no estado de guerra proposto pelo texto. Trabalhamos entre o universo microscópico e invisível dos insetos e o nosso universo”, diz Rodrigo Portella. Para a companhia, o espetáculo é também uma celebração. “Em cena, temos 30 anos de convívio. Nos conhecemos bastante e já sabemos o que esperar do outro. Temos muito menos atrito. Olhamos um para o outro em cena e nos reconhecemos”, diz Marcelo Valle. “Acho que uma palavra que nos definiria seria inquietação. E uma das coisas boas é que nos colocamos o desafio de trabalhar com pessoas novas, como o Rodrigo (Portella), que é de outra geração. Essa inquietação e essa disponibilidade para o novo nos acompanha desde 1988”, completa Marcelo Olinto.

 

 

Ficha Técnica

Texto original – Jô Bilac

Adaptação – Cia. dos Atores e Rodrigo Portella

Direção – Rodrigo Portella

Elenco

Cesar Augusto

Marcelo Olinto

Marcelo Valle

Susana Ribeiro

Tairone Vale

Cenário – Beli Araújo e Cesar Augusto

Figurino – Marcelo Olinto

Iluminação – Maneco Quinderé

Preparação Corporal – Andrea Jabor

Direção Musical – Marcello H.

Visagismo – Marcio Mello

Cenógrafa Assistente – Marieta Spada

Arranjo (Money Money) – Marcelo Alonso Neves

Programação Visual – Radiográfico

Assessoria de Imprensa – Catharina Rocha e Paula Catunda

Assessor de Mídias Sociais – Rafael Teixeira

Fotógrafa – Elisa Mendes

Assistente de Direção – João Gofman

Assistente de Fgurino – Rodrigo Reinoso

Assistente Preparação Corporal – Rodrigo Maia

Tingimentos – Almir França

Grafismo Textil – Sandro Vieira

Desenho de Som – Diogo Perdigão

Operador de Som – João Gofman

Operador de Luz – Lú de Oliveira

Diretor de Cena – Wallace Lima

Cenotécnico – Jessé, Iuri Wander e Fábio Lima

Montagem de Luz – Daniel Benevides, Russinho, Fernando Tuiuiu, Iuri Wander e Fábio Lima

Coordenação Financeira – Amanda Cezarina

Apoio de ensaio – Dalva Rocha

Produção Executiva – Bárbara Montes Claros

Direção de Produção e administração – Celso Lemos

Realização – Cia. do Atores

 

Serviço

Temporada: De 22 de março a 6 de maio, de quarta a domingo.

Horários: de quarta a sexta, às 19h. Sábado, às 17h e 19h. Domingo, às 19h.

Local: CCBB Rio (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro)

Salas C/D – Segundo andar.

Informações: (21) 3808-2020.

Capacidade: 116 lugares. Recomendação etária: 14 anos.

Duração: 80 minutos.

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

bb.com.br/cultura | twitter.com/ccbb_rj | facebook.com/ccbb.rj

instagram.com/bancodobrasil

SAC 0800 729 0722 – Ouvidoria BB 0800 729 5678

Deficientes Auditivos ou de Fala 0800 729 0088

 

Assessoria de imprensa do espetáculo:

Catharina Rocha | catharocha@gmail.com

Paula Catunda | paula.catunda@gmail.com