Kiki: Os Segredos do Desejo

Remake diverte mais que o original, mas a falta de aprofundamento permance

por

15 de junho de 2017

Quando pensamos em remake, logo nos vem à cabeça que é estadunidense. Só que dessa vez a história original sai da Austrália e vai para a Europa, mais especificamente para a terra de Almodóvar. “Kiki: Os Segredos do Desejo” é um remake de “A Pequena Morte” (2014), de Josh Lawson, e traz cinco histórias de casais com problemas conjugais que descobrem fontes de prazer um tanto quanto estranhas e com nomes difíceis de pronunciar: Somnofilia, Harpaxofilia, Dacrifilia, Hifefilia. Aos poucos, os gostos peculiares vão sendo aceitos e os fetiches são libertos em nome do prazer e da felicidade a dois – ou mais.

Kiki4

Dirigido por Paco León (“Carmina ou que se exploda”), o longa-metragem trata os fetiches de uma maneira um pouco diferente do original, já que não carrega no drama e não apela para fatalismos, bem como não faz o caminho dos personagens se cruzarem – cada casal vive sua própria história, sem interferências dos outros, como se fossem curtas. Além de manter os fetiches principais (excitação ao ver alguém dormindo, ao ver parceiro chorando, esfregando um tecido agradável e estando em situação de perigo), León e o co-roteirista Fernando Pérez adicionam outros, como a excitação ao se esfregar em plantas e ao ser urinado por outra pessoa, mas também consideram erroneamente o poliamor como um fetiche. “Kiki, el amor se hace” (no original), no entanto, comete o mesmo erro que “A Pequena Morte” ao não se aprofundar nos fetiches, no sofrimento que causam na vida de quem os possui e nas situações apresentadas dos cinco casais.

Kiki6

Para o diretor, que também atua no longa, o mais importante é divertir o público com cenários inusitados, mesmo que zombe de alguns fetiches e não haja aprofundamento onde deveria. Elementos lúdicos se fazem presentes através de frutas, bebidas e picolés simulando situações sexuais, e dão leveza a um assunto que ainda é tabu, porém nesta película, que gira em torno de sexo, poderia ser tratado com mais naturalidade. Ainda assim, “Kiki: Os Segredos do Desejo” cumpre com seu objetivo de entreter e acaba sendo um divertido dicionário de fetiches que levam ao desejado final feliz.

Kiki: Os Segredos do Desejo (Kiki, el amor se hace)

Espanha – 2016. 102 minutos.

Direção: Paco León

Com: Paco León, Ana Katz, Candela Peña, Luis Bermejo, Alexandra Jiménez, Natalia de Molina e Luis Callejo.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3