Lista com melhores filmes de terror de 2019 pela GQ e Almanaque Virtual

Confira alguns dos melhores exemplares do terror tanto em terras estrangeiras quanto brasileiras

por

25 de agosto de 2019

Engraçado né? Quando a pessoa aqui está se sentindo pra baixo com o mundo, que tipo de filme sente vontade de assistir?!

Comédia? Musical?

Não, terror. Terror me faz bem. Lembra a gente que é lá que ele deve ficar, e não no Palácio do Planalto…

E aí curiosamente, enquanto pensava isso, leio que a GQ Magazine fez uma lista com os 10 melhores filmes de horror/suspense lançados em 2019 até o momento. Então, para a nossa sanidade mental da nação, segue abaixo a lista, sendo que vou acrescentar ao final dela alguns exemplares brasileiros recentes:

10.The Perfection
9. Harpoon
8. The Hole in the Ground
7. Knives and Skin
6. High Life
5. Us
4. Climax
3. Ready or Not
2. Midsommar
1. Parasite

Menções honrosas da GQ: Starfish, Head Count, Braid, Depraved, The Wind

Menções honrosas brasileiras (minhas):

Bacurau de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles
A Sombra do Pai de Gabriela Amaral Almeida
Los Silencios de Beatriz Seigner
A Mata Negra de Rodrigo Aragão
Divino Amor de Gabriel Mascaro
Mormaço de Marina Meliande
A Noite Amarela de Ramon Porto Mota (ainda inédito no Brasil, mas estou LOUCO pra assistir)

Edit. e Atualizado:

Já que algumas pessoas me perguntaram por que alguns destes filmes estariam na lista, seja a da GQ ou a minha, por não se qualificarem necessariamente como terror “tradicional”, acrescento algumas explicações abaixo, principalmente para os brasileiros, já que muitos dos americanos ainda são inéditos e eu ainda não pude assistir para poder explicar (e a lista americana é da GQ, não minha rs). Este é um otimo debate e não tem resposta certa ou errada. Mas então….

Muitos dos exemplares listados poderiam ser encaixados no que eles amam chamar de “pós terror” (denominação extremamente problemática)… Outros da lista são filmes que assumidamente usam o fantástico ou o distópico pra lidar com uma realidade que é mais aterrorizante do que qualquer ficção.

O próprio coreano “Parasita”, ganhador da Palma de Ouro, não é nem um pouco “terror” num sentido mais “tradicional”, e sim pelo que a trama possui de “surreal” ou de abstração da realidade, que só mascara o quanto a opressão vem é da vida real… Assim como “Divino Amor” de certa forma — aquele estado é aterrorizante. E, convenhamos, a personagem de Dira Paes é a vilã ali. Dira é mais resistente que Michael Myers e é tipo a mãe de Jason em Sexta-Feira 13 — só que ela não mata, ela destrói a hipocrisia dos jovens virgens do “lado Cristal” aliciando casais para uma orgia sociopata, matando percepções e direitos… Até que ela própria se encurrala como um Freddy no próprio pesadelo criado.

Ou mesmo podemos falar de “Los Silencios”, cujos fantasmas na verdade é a supressão da identidade ou de uma pátria, onde a “Ilha da Fantasia” é só um nome chique pra reunir os párias apátridas de guerrilhas e conflitos aterrorizantes que matam todo dia e expurgam o cidadão pra um lugar irreal, sublimado, onde todos, pra viver, precisam estar mortos para seus respectivos Estados, uma Ilha de zumbis que estão mais vivos do que muita gente…

Ah, e Mormaço está na lista por tudo o que referencia de “Trabalhar Cansa”.

Bacurau assume tudo o que pegou do terror pelo gore, pela trilha do Carpenter, pelos arquétipos dos americanos e até pelas mortes sequenciais…

Já os outros são terror assumidos, como Sombra do pai, mata negra e o noite amarela (ainda inédito).

PS. Só achei estranho o The Lighthouse não estar na lista da GQ mas é pq ainda não estreou por lá