No Andar de Baixo

por

13 de outubro de 2016

O casal Kate (Clémence Poésy) e Justin (Stephen Campbell Moore) espera seu primeiro filho e ganha novos vizinhos no apartamento do andar de baixo, Jon (David Morrissey), um rico homem de negócios, e Theresa (Laura Birn), que também esperam seu primeiro bebê. Kate e Theresa logo se aproximam, mas uma noite de descobertas sobre as diferentes perspectivas da maternidade, que termina com um acidente trágico, transforma a convivência dos casais em uma luta psicológica que vira um pesadelo na vida de Kate.

Primeiro longa-metragem de David Farr (“Hanna”/2011) como diretor, “No Andar de Baixo” traz muitos elementos já conhecidos pelo público. Farr acerta na construção da tensão e do suspense, mas peca na enorme previsibilidade do roteiro. Para o espectador acostumado com o gênero, nenhum elemento surpreende no desenrolar da trama. A ingenuidade com que Kate e Justin lidam com os estranhos Jon e Theresa chega a ser incômoda. Farr utiliza o artifício manjado de fazer a protagonista se isolar e passar por louca aos olhos dos outros para que os vilões psicopatas possam bolar o seu plano diabólico sem levantar suspeitas, o que soa um tanto forçado.Pode-se dizer que “The Ones Below” (no original) é um encontro entre os clássicos “O Bebê de Rosemary” (1968) e “A Mão que Balança o Berço” (1992). O filme, que teve sua estreia no Festival de Berlim 2016, consegue prender a atenção apesar de ser previsível. O desfecho óbvio e explicado além do necessário decepciona um pouco, porém é mais realista do que se mostrasse um típico final feliz. “No Andar de Baixo” fica no lugar-comum das obras de suspense, mas ainda assim tem suas qualidades.

Festival do Rio 2016 – Midnight Movies

No andar de baixo (The Ones Below)

Reino Unido – 2015. 86 minutos.

Direção: David Farr

Com: Clémence Poésy, Stephen Campbell Moore, David Morrissey e Laura Birn.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3