Norm e os Invencíveis

Animação é uma amálgama confusa de cópias de outras produções do gênero

por

01 de abril de 2016

Existe vida animada além dos estúdios Disney, Pixar e DreamWorks, é verdade, mas nem sempre a qualidade e, principalmente, a criatividade estão presentes nesse terreno. É o caso de “Norm e os Invencíveis”, animação dirigida pelo estreante Trevor Wall. A trama gira em torno de Norm, um urso polar humanizado que vive no Ártico e não tem o menor talento para caça. Diferente dos outros ursos de sua espécie, ele dança e consegue falar com os humanos, o que faz dele o estranho da comunidade. Quando percebe que o local onde vive está em risco devido à ganância humana, Norm decide ir para Nova York com seus três lêmingues para tentar impedir que o pior aconteça.

As semelhanças entre “Norm of the North” (no original) e “Happy Feet – O Pinguim” não são meras coincidências: o longa-metragem animado de Wall não só bebe da fonte como mergulha de cabeça, nada e retira alguns litros das águas do ganhador do Oscar de Melhor Animação de 2007, dirigido por George Miller. Assim como o pinguim Mambo, Norm vive no gelo, dança, tem três parceiros menores que muitas vezes roubam a cena (como ocorre em “Minions” e “A Era do Gelo”), é desacreditado de seu potencial e faz de tudo para prová-lo a seus iguais. É possível encontrar, ainda, uma referência invertida a “Madagascar” nessa história nada inventiva.

O longa, que inicialmente seria lançado direto em DVD, tenta se valer do humor o tempo todo, sem sucesso. O enredo não traz nada de novo e mistura características de personagens famosos das animações já citadas acima de forma bagunçada e muitas vezes exagerada – os fofinhos e “invencíveis” lêmingues são apelativamente escatológicos. Ainda que haja uma importante mensagem sobre preservação ambiental, esta se perde em meio ao roteiro mal estruturado, escrito a oito mãos por Daniel Altiere, Steven Altiere, Malcolm T. Goldman e Jamie Lissow. Enquanto a dublagem original conta com os atores mundialmente conhecidos Rob Schneider, Bill Nighy, Heather Graham e Ken Jeong para promover o filme, no Brasil Tom Cavalcante é o único famoso contratado para dar a voz a um personagem, no caso, o principal. “Norm e os Invencíveis” é uma animação desinteressante que pouco chama a atenção até das crianças e logo será esquecida.

 

 

Norm e os Invencíveis (Norm of the North)

EUA / Índia – 2016. 90 minutos.

Direção: Trevor Wall

Com: Rob Schneider, Bill Nighy, Heather Graham e Ken Jeong.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52