‘O Filme da Minha Vida’

Dirigido por Selton Mello, longa é uma das estreias desta quinta-feira, dia 03.

por

03 de agosto de 2017

Se todo mundo pudesse contar em filme sua história, provavelmente quase nada seria exatamente como aconteceu. Claro, essa é a sua versão e você conta do seu jeito. Aquele momento mágico do primeiro namoro, da viagem para uma outra cidade ou aquela decepção com quem você mais admirava e aquela tristeza, que você nem quer contar para não ter que lembrar. Tudo pode estar no filme da sua vida.

Abandonado pelo pai na infância, Tony (Johnny Massaro) tenta reconstruir sua história (Foto: Divulgação).

Abandonado pelo pai na infância, Tony (Johnny Massaro) tenta reconstruir sua história (Foto: Divulgação).

Em “O Filme da Minha Vida”, o diretor Selton Mello retoma o lirismo de sua obra maior “O Palhaço”, com toques de autobiografia, para contar a história de Tony (Johnny Massaro), um professor, que retorna à cidade natal na Serra Gaúcha e encontra a mãe, abandonada pelo pai, Nicolas (Vincent Cassel), que voltou para a França com saudade do país de origem. Tony vai buscar no afeto de Luna (Bruna Linzmeyer), na sensualidade de Petra (Bia Arantes), na amizade de Paco (Selton Mello) e no carinho da mãe Sofia (Ondina Clais), a forma de reconstruir sua história, apesar do passado sempre estar rondando. Uma sala de cinema é o cenário de acontecimentos decisivos que conectam dois pontos da vida do jovem.

Baseado no livro do chileno Antônio Skármeta, o longa revive os anos 60 com fidelidade na reconstituição em cenários, figurinos e trilha sonora. A música de Sérgio Reis, “Coração de Papel”, se encaixa na figura cheia de desejo e melancolia de Tony, que não entende porque o pai foi embora e com ele levou o próprio passado do menino que ele tanto quer recuperar. “Hier Encore”, de Charles Aznavour, também está no longa para embalar falta e arrependimento. O filme parece um álbum de retrato de uma época que ainda está muito presente, com a saudade de Tony da infância com o pai. A fotografia de Walter Carvalho explora com encantamento a paisagem da Serra Gaúcha.

Nicolas (Vincent Cassel) abandona a família por saudade da França, seu país de origem (Foto: Divulgação).

Nicolas (Vincent Cassel) abandona a família por saudade da França, seu país de origem (Foto: Divulgação).

Com Massaro e Cassel em atuações solidamente construídas e um elenco feminino impecável, além da participação especial afetuosa, como uma espécie de observador, de Rolando Boldrin, o diretor Selton Mello mostra mais uma vez grande acerto na escalação de atores. Ele mesmo atuando bem, como sempre, mas o seu Paco é o personagem com desfecho menos satisfatório.

“O Filme da Minha Vida” é daqueles longas em que todos os personagens importam, incluindo a pequena trama de um menino que está doido para perder a virgindade. Um filme que conquista a nossa simpatia e mantém nosso interesse constante.

Avaliação Ana Rodrigues

Nota 3