O Final da Turnê

Tornando um ídolo mais acessível e frágil. Mais interessante. Mais humano.

por

11 de outubro de 2015

Um recurso frequentemente utilizado para contar a história de um ídolo é fazê-la do ponto de vista de um terceiro personagem. É um recurso não só do cinema, mas usado também na literatura (como por exemplo, nas histórias de Sherlock Holmes narradas por Watson) ou até mesmo na história mais clássica, quando grandes heróis tinham suas histórias narradas por bardos e poetas. Esse distanciamento costuma ser usado para reduzir as fraquezas do ídolo e tornar a sua forma de pensar mais misteriosa. Mas não é exatamente isso que acontece em “O Final da Turnê”.

o-END-OF-THE-TOUR-facebook

O filme retrata o momento em que o jornalista da revista Rolling Stone David Lipsky (Jesse Eisenberg) acompanha o escritor David Foster Wallace (Jason Segel) nos últimos cinco dias de viagem da turnê de promoção do livro “Infinit Jest”, em 1996. Trata-se de uma adaptação do livro “Although Of Course You End Up Becoming Yourself: A Road Trip With David Foster Wallace”, escrito pelo próprio jornalista.

O filme começa com Lipsky recebendo a notícia do suicídio de Wallace em 2008 e revisitando as fitas de gravação de sua entrevista. A própria opção de começar citando o suicídio torna a morte uma presença constante na trama, como uma espécie de sombra à latente depressão do escritor.

Como estrutura, o filme poderia ser classificado como um “road movie”, embora a maior parte de seu desenvolvimento seja na conversa entre os dois, enquanto a mente de Wallace é lentamente analisada.

O Final da Turnê (3)_0

Cabe aqui  algumas considerações sobre a atuação de Jesse Eisenberg e Jason Segel, ambos escritores com maior ou menor grau de timidez e introspecção, evidenciado pela postura corporal sempre curvada e um tom de voz em que transparece alguma fragilidade. A retratação da vida de Wallace, constantemente em locais pouco iluminados ou extremamente pálidos passa a constante atmosfera depressiva de sua vida, contrastando com sua personalidade quase sempre dócil.

Como dito, o filme pode começar do ponto de vista de um fã, com a já consagrada figura de David Foster Wallace imposta. Entretanto, diferente das histórias em terceira pessoa que constroem um ídolo, o grande acerto está em conseguir tornar o escritor mais acessível e frágil. Mais interessante. Mais humano.

Festival do Rio 2015 – Panorama do Cinema Mundial

O Final da Turnê (The End of the Tour)

EUA, 2014. 106 min.

De  Jesse Eisenberg, Jason Segel

 


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52