O Grinch

Animação da Illumination é uma versão mais politicamente correta voltada para crianças do clássico de 2000, protagonizado por Jim Carrey

por

08 de novembro de 2018

Jim Carrey fez muito sucesso no ano 2000 ao interpretar uma carismática criatura verde que não gosta nada do Natal, tanto que foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Ator em Filme de Comédia ou Musical. Eis que a Illumination Entertainment, responsável pela criação dos fofíssimos Minions, resolveu fazer, com distribuição da Universal, um remake animado para que a nova geração de crianças possa conhecer esta história escrita por Dr. Seuss no livro “Como o Grinch roubou o Natal”, um clássico americano. A trama é a mesma do longa dirigido por Ron Howard: o Grinch odeia tanto o Natal que resolve invadir os lares dos vizinhos de Quemlândia para roubar tudo o que está relacionado ao feriado, mas acaba tendo seu gelado coração derretido aos poucos por uma doce garotinha durante sua jornada.

Ao assistir no cinema a esta animação dirigida por Yarrow Cheney (“Pets: A Vida Secreta dos Bichos”) e Scott Moiser, o público pode novamente se divertir com os Minions no curta “Amarelo é o novo preto”, que passa antes do filme. Logo do início de “O Grinch”, é tocada a música “Happy”, que foi trilha sonora do maior sucesso da Illumination até hoje, “Meu Malvado Favorito”. Na versão legendada, Pharrell Williams, produtor e intérprete da canção, é, inclusive, o narrador da história. Talvez não coincidentemente, Grinch também herdou alguns trejeitos de Gru, com quem compartilha personalidade e mudança de comportamento muito semelhantes ao longo do enredo, além de aparatos tecnológicos de sua casa no pico da montanha.

Com roteiro mais politicamente correto de Tommy Swerdlow (“Jamaica Abaixo de Zero”) e Michael LeSieur (“Dois é Bom, Três é Demais”), “The Grinch” (no original) é mais voltado ao público infantil que o filme de 2000, até por se tratar de uma animação da Illumination, e possui um desfecho com aquelas típicas (e sempre importantes) lições de moral para os pequenos. Para causar maior identificação com a criançada, o rapper Tyler, the Creator comanda a parte musical do longa. O cachorrinho de estimação do Grinch, Max, é outro ponto forte do filme, pois rouba todas as cenas em que aparece. Apesar de não fisgar tanto os pais como em outras animações e de ter o ritmo irregular, causando certo cansaço no espectador adulto, “O Grinch” é diversão garantida para toda a família nessas festas de fim de ano, mesmo com a dublagem ruim de Lázaro Ramos no papel-título, bem inferior à de Benedict Cumberbatch na versão original/legendada. Só poderia estrear mais perto do Natal.

 

O Grinch (The Grinch)

Estados Unidos – 2018. 90 minutos.

Direção: Yarrow Cheney e Scott Moiser

Com: Benedict Cumberbatch, Cameron Seely e Pharrell Williams/Lázaro Ramos.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 4