Obediência Perfeita

por

21 de novembro de 2014

Quando a tela abre para a primeira cena, em uma igreja de arquitetura clássica no México, já se percebe o arquetipo vilanesco dos que habitam a arquidiocese, com um enfoque soturno nos primeiros padres mostrados. Mostrando uma vida moderna receosa, “Obediência Perfeita” logo mergulha  num passado não tão distante, de uma realidade que salta aos olhos do público e que incomoda, propositalmente.

Obediencia-Perfecta-1
O padre fundador da paróquia, Ángel de La Cruz ( Juan Manuel Bernal), observa os meninos em sua intimidade, com olhares incisivos e invasivos, sugerindo o que seria mostrado em tela mais tarde. O roteiro é bastante didático, na tentativa de atingir um público maior do que o acostumado a temáticas espinhosas de discussão de religião.

maxresdefault (1)

No núcleo infantil, a diferenciação de perspectiva é feito sob a vivência do menino Julián, mostrando vestimentas de cores vivas, emulando a alegria infantil da época, diferente e muito das sensações vividas no ambiente religioso, preconizado por roupas negras.

maxresdefault

A renuncia ao nome dado pelos pais serve de duplo rito de passagem, santo e profano e o pecado necessita das luzes apagadas, para que o ofegante tenha pleno gozo. A ótica da câmera é de sensacionalismo, uma abordagem até necessario em vias da gravidade do assunto. Embriagado, ele seduz e brinca com sua presa.

obediencia_perfecta_ver7_xlg

A tutela mata a vonta própria do menino, que não se vê como vítima, mas sim como corruptor, manipulado por um mal que sequer tem repertório para compreender. Seu entendimento é deturpado pela lógica do explorador, que o usa e o banaliza. O nível desejado a que o menino atinja é ligado a submissão total sem amrras ou reclamações, sem denúncias. Fazendo da omissão uma conivencia com os pecados sugeridos pela câmera de Luis Urquiza, que vão passando de geração em geração, numa pessimista perspectiva, que infelizmente se faz real.

 

Obediência Perfeita (Obediencia Perfecta)
Ano: 2014
País: México
Duração: 90 min
Direção: Luis Urquiza
Elenco: Juan Manuel Bernal, Sebastián Aguirre, Juan Ignacio Aranda, Alejandro De Hoyos, Luis Ernesto Franco, Miguel Loyo, Jesús Zavala, David López, Luciana González De León, Claudio Lafarga, Johana Murillo, Juan Carlos Colombo, Alfonso Herrera, Claudette Maillé.

Avaliação Filipe Pereira

Nota 3