‘Os Pobres Diabos’

Dirigido por Rosemberg Cariry, longa estreia nesta quinta-feira, dia 06.

por

06 de julho de 2017

Sempre na corda bamba o brasileiro, ou mais especificamente, o artista brasileiro é representado na simpática comédia “Os Pobres Diabos”. Com uma pegada dos bons tempos de Os Trapalhões no cinema dos anos 70 e 80, o longa escrito e dirigido por Rosemberg Cariry narra as viagens pelo sertão nordestino do Gran Circo Teatro Americano, uma trupe que decide montar na cidade de Aracati, no litoral do Ceará (terra-mãe de grandes comediantes) uma peça sobre como seria uma crise no Inferno. A encenação segue a literatura de cordel e, como o diabo gosta, é apimentada por escapadas de personagens na melhor tradição do cinema mudo.

Chico Diaz em cena (Foto: Divulgação).

Chico Diaz em cena (Foto: Divulgação).

O maior mérito de “Os Pobres Diabos”, além de divertir, é proporcionar uma reflexão sobre a precariedade de fazer arte no Brasil. Onde não tem pão como alimentar o leão, não é mesmo? Na encenação do Gran Circo, o bandido Lamparina chega ao Inferno e Lúcifer aparece como o capitalismo internacional. É o teatro, para meia dúzia de gatos pingados, que resiste ao levar um evento cultural para aquele descampado. Triste constatação, a morte lenta do circo vai tirando dos mais humildes uma das poucas opções de arte e entretenimento que ainda persistiam. Mas essa morte é da própria condição do artista brasileiro que encontra enormes barreiras econômicas e políticas para mostrar a arte livre e criar oportunidades. Nem a companhia de luz o Gran Circo pode pagar para continuar o show.

A fotografia de Petrus Cariry, filho do diretor, trata com carinho os maltrapilhos sob a deslumbrante luz nordestina e o elenco está afinadíssimo com destaque para o triângulo fogoso do casal interpretado por Gero Camilo e Silvia Buarque e o palhaço representado por Chico Diaz. Há cuidado na construção dos personagens evitando que sejam reduzidos a estereótipos.

Prêmio do Público de Melhor Filme no Festival de Brasília de 2013, “Os Pobres Diabos” chega aos cinemas em 2017 como um vidente da estagnação que se instalou no país, onde precisamos dar muita cambalhota para sobreviver.

Avaliação Ana Rodrigues

Nota 4