‘Polícia Federal – A Lei é Para Todos’

Baseado no livro homônimo de Carlos Graeb e Ana Maria Santos, longa conta os bastidores da Operação Lava Jato até março de 2016.

por

08 de setembro de 2017

A maior operação anticorrupção do planeta chega às telas pelas mãos do cineasta Marcelo Antunez com um aparato raro no cinema nacional. Lançado em mais de 700 salas em pleno feriado de 7 de setembro, o filme aposta no teor explosivo de um comando que promete desmascarar a faceta podre de políticos, doleiros e empresários de um país anestesiado por tanta roubalheira.

Delegado Ivan (Antonio Calloni) lidera a equipe de investigadores (Foto: Divulgação).

Delegado Ivan (Antonio Calloni) lidera a equipe de investigadores (Foto: Divulgação).

Baseado no livro homônimo de Carlos Graieb e Ana Maria Santos, “Polícia Federal – A Lei é Para Todos” esmiúça a operação Lava Jato sob o viés de um grupo de policiais liderados por Ivan (Antônio Calloni). O filme faz um resumo da investigação desde seus primórdios esclarecendo alguns detalhes, como a origem do nome, mas se esquece de enriquecer a tela com uma linguagem mais profunda e humana. O resultado é puro jornalismo investigativo e muita informação.

Na ânsia de apresentar um trabalho contundente, o diretor opta apenas pelos fatos históricos e deixa de lado aquilo que é fundamental para que uma história funcione: a construção dos personagens e a identificação primária com o espectador. Aqui só há personalidades (bastantes conhecidas) apresentadas de uma forma caricatural sem espaço para tramas secundárias. A bela atriz Flávia Alessandra, por exemplo, que interpreta a policial Bia, é apenas um mero objeto cênico na trama, sem nenhuma função dramática e não levanta nenhuma discussão importante (como, por exemplo, o papel de uma mulher em um meio misógino, machista e violento).

Ary Fontoura interpreta o ex-presidente Lula (Foto: Divulgação).

Ary Fontoura interpreta o ex-presidente Lula (Foto: Divulgação).

Na realidade Antunez não abre espaço para nenhum outro debate a não ser os esforços da Polícia Federal em desmontar uma quadrilha implantada dentro do Governo Brasileiro pelo ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e o partido dos trabalhadores. Isso é muito pouco para um filme que fala de uma realidade atual repleta de dualidades e ironias, afinal o mesmo ex-presidente, há oito anos, foi foco de uma produção de Fábio Barreto que exaltava sua vida de retirante nordestino entre pompas e circunstâncias retratando-o como um herói nacional (“Lula – O Filho do Brasil” de 2009).

“Polícia Federal – A Lei é Para Todos” se aproveita de um material militante e muito oportuno, mas sofre com o mesmo diagnóstico de outras produções nacionais baseadas em materiais biográficos e/ou verídicos. Capricha-se na produção técnica, apresenta o tema meticulosamente, escala alguns rostos conhecidos do grande público e faz um marketing convincente.

Idealizado como uma trilogia “Polícia Federal – A Lei é Para Todos” desperdiça uma ótima chance de abrir um diálogo sobre política nacional, mas pode reverter este quadro caso haja intenção de abrir mão de seu conflito artificial.

Avaliação Zeca Seabra

Nota 3