Premiados no 21º Festival de Málaga: Brasil ganha com “Benzinho”

Filme brasileiro dirigido por Gustavo Pizzi e roteirizado pelo próprio e Karine Teles leva o prêmio de melhor filme na Competição Íbero-Americana pelo júri oficial, além do prêmio especial pelo Júri da crítica, e Premio Feroz Puerta Oscura

por

22 de abril de 2018

21 de abril, 2018 – Festival Espanhol de Málaga premiou em sua 21ª edição o filme brasileiro “Benzinho” dirigido por Gustavo Pizzi e roteirizado pelo próprio e Karine Teles, levando os prêmios de melhor filme na Competição Íbero-Americana pelo júri oficial, além do prêmio especial pelo Júri da Crítica — com a justificativa: “Pela capacidade de comover e pelo olhar feminino”. O filme ainda ganhou um terceiro troféu: Premio Feroz Puerta Oscura. O filme já havia concorrido na principal seleção oficial do Festival de Sundance de onde saiu com excelente recepção internacional. O filme conta no elenco além da própria atriz multipremiada Karine Teles (como em “Riscado” de Gustavo Pizi, onde também corroteirizou; e “Fala Comigo” de Felipe Sholl), também contou com Adriana Esteves e Otávio Müller.

O Júri oficial da competição de longas-metragens foi composto por: a diretora Mariano Barroso, a escritora e ensaísta Marta Sanz, a maquiadora Sylvie Imbert, a atriz Aura Garrido e a diretora Manane Rodríguez

xBenzinho-_-cred.jpg.pagespeed.ic.Ir0CMjXS3b

Confira a lista completa de vencedores:

Melhor Filme na Competição Íbero-Americana: “Benzinho” de Gustavo Pizzi

Melhor Filme na Competição Espanhola: Las distancias, de la directora Elena Trapé

Premio Especial do Júri: Empate entre: ‘Casi 40’, de David Trueba, e ‘La reina del miedo’ de Valeria Bertuccelli

Melhor Ator: Javier Rey, por “Sin fin”

Melhor Atriz: Empate entre: Valeria Bertuccelli por “La reina del miedo” e Alexandra Jiménez por Las distancias.

Melhor Direção: Elena Trapé, por “Las distancias”

Melhor Atriz Coadjuvante: Carmen Flores por “Mi querida cofradía”

Melhor Ator Coadjuvante: Vladimir Cruz por “Los buenos demonios”

Melhor Roteiro: Daniel Díaz Torres e Alejandro Hernández por “Los buenos demonios”.

Melhor Música:  Edesio Alejandro por “Los buenos demonios”

Melhor Fotografia e Melhor Montagem: Guillermo Nieto e Pablo Zumárraga por “No dormirás”

Prêmio Especial do Júri da Crítica: “Benzinho” de Gustavo Pizzi – com a justificativa: “Pela capacidade de comover e pelo olhar feminino”.

O Júri da Crítica foi formado por Alicia García, Laura García Torres, Francisco Blanco, Salvador Llopart e Javier Zurro.

Prêmio do Público pelo voto popular: “Mi querida cofradía”, de Marta Díaz de Lope

Seção Competitiva Zonezine

O Júri desta seção foi formado por: Alejo Levis, Tamara Arévalo e Valentina Viso

Melhor Filme da Competição Espanhola: “Con el viento”, de Meritxel Colell

Melhor Filme da Competição Íbero-Americana: “Casa Coraggio”, de Baltazar Tokman

Melhor direção: Baltazar Tokman por “Casa Coraggio”

Melhor Atriz: Sofía Urosevich, por “Casa Coraggio”

Melhor Ator: Dani Casellas, de “Yo la busco”

Prêmio de Público: “Traigan la hierba”, de Denny Brechner, Alfonso Guerrero e Marcos Hecht

Seção Competitiva de Documentário:

Júri formado por: Patrick Bernabé, Andrés di Tella, Marta Andreu e Anders Riis-Hansen

Melhor Documentário: “Ainhoa, yo no soy esa”, de Carolina Astudillo, com justificativa: uma proposta completa, rica e ousada que aborda o relato de um destino sollitário que por sua vez evoca o de toda uma geração.

Júri Jovem composto por: María Dolores Aranda, Candela Pliego, Christian Grajera, María Ángeles Rodríguez, Antonio Guerra, Roksana Leguandowska, Álvaro Sánchez, Helena Murillo, José Manuel Medina, Fernando Criado e Marta Vera

Melhor Documentário: “La Flor de la Vida”, de Claudia Abend e Adriana Loeff.

Melhor Curta pelo Júri Jovem: Kyoko, de Joan Bover e Marcos Cabotá pela estruturação do relato que captura o espectador desde o primeiro momento.

Júri de Documentários em Curta-Metragem: Marta Andreu, Andrés di Tella, Patrick Bernabé, e Anders Riis-Hansen

Melhor curta documental: “Improvisaciones de una ardilla”, de Virginia García del Pino.

Menção Honrosa de curta documental: “Você nao me conhece”, de Rodrigo Séllos.

Melhor curta de fição: La última virgen, de Bárbara Farré

Melhor Atriz em curta-metragem de ficção: Susana Abaitua, por “Vacío”

Melhor ator em curta-metragem de ficção: Ferrán Villajosana, por “Australia Asimismo”

Prêmio de Público para curta de ficção: “Seattle”, de Mara Aledo.

Seção de curtas-metragens de ficção locais de Málaga:

“Charlitas de verano”, de Javier Díaz Conde ganhou Prêmio do Júri e de Público

Melhor curta documental ou de animação ou de experimentação: “Conversaciones ajenas”, de Manuel Jiménez Núñez

Seção de Cinema local de Málaga:

Melhor Produção: José Alba

Prêmio Oficios de cinema, (foi dado postumamente): para Nacho Albert

Melhor Atriz: Belén Cuesta,

Melhor Ator: Pepón Nieto,

Prêmio de Trajetória Profissional: Juanma Lara.

Seção Mafiz – Málaga Festival Fund & Coproduction (MAFF) :

Prêmio SorFond Maff: “Hondo”, de Virginia Urreiztieta

Prêmio EAVE: La pecera, de Glorimar Marrero

Prêmio Latido Filme: “Pólvora en el corazón”, de Camila Urrutia

Prêmio Aracne Digital Cinema: “Porno para principiantes”, de Carlos Ameglio

Prêmio Arte Sonora: “Sumergida”, de Andrés Finat

Prêmio Subtitula-M: “La noche de la bestia”, de Mauricio Leiva

Seção Afirmando os Direitos das Mulheres:

Melhor Curta-metragem documental: “Forgot myself somewhere” de Iker Elorrieta

Melhor Longa-metragem documental: “Organizar lo (im)posible”, de Carme Gomila y Tonina Matamalas

Prêmio de Público: “Negra soy”, de Laura Bermúdez

Prêmio Curta-Metragem de ficção: “Approaching” de Tereza Pospisilová

Prêmio melhor longa-metragem: “Ala-Kachuu, grab and run” de Roser Corella

Prêmio Concurso de Roteiros: “Julia dispara”, de Juan López Salvatierra

Prêmio Júri Jovem da Seção Especial e Prêmio Signis: “Sergio y Serguéi”, de Ernesto Daranas Serrano

Premio Asecan Ópera Prima e Menção Especial da Associação Católica Mundial para Comunicação: “Sin fin”, dos irmãos Esteban Alenda

Prêmio Feroz Puerta Oscura da Seção Oficial: “Benzinho” de Gustavo Pizzi

Prêmio Movistar da Seção ZoneZine: “Yo la busco”, de Sara Gutiérrez

Prêmio Escolas no Cinema da Seção ZoneZine: “Oso polar”, de Marcelo Tobar

74280883_27Benzinho27-de-Gustavo-Pizzi-filme-brasileiro-que-abre-o-Festival-de-Sundance-2018.-Kari