Premiados no É Tudo Verdade 2018

Maior Festival de documentários da América Latina entrega seus prêmios em SP, laureando como melhor filme "Auto de Resistência" de Natasha Neri e Lula Carvalho

por

21 de abril de 2018

Principal evento dedicado à cultura do documentário na América Latina, fundado e dirigido por Amir Labaki, o É Tudo Verdade – 23º Festival Internacional de Documentários divulgou na noite deste sábado, 21 de abril, os vencedores da edição 2018, laureando como melhor filme da Competição Brasileira: Auto de Resistência, de Natasha Neri e Lula Carvalho, e da Competição Internacional: O Distante Latido dos Cães, de Simon Lereng Wilmont.

auto-de-resistencia

O júri das competições brasileiras foi composto pela cineasta Betse de Paula, pelo cineasta e articulista Fernando Grostein Andrade e pelo cineasta e diretor de fotografia Tyrell Spencer. O júri das competições internacionais e latino-americana foi formado pela documentarista americana Pamela Yates, também homenageada pela retrospectiva desta edição, pela produtora brasileira Renata de Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e pelo curador equatoriano Alfredo Mora Manzano, diretor do EDOC, o festival de documentários do Equador.

Desde 2015 os vencedores da Competição Brasileira de Curtas- Metragens e o da Competição Internacional de Curtas-Metragens estão automaticamente qualificados para exame pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood visando uma vaga na disputa do Oscar de melhor curta documental. O É Tudo Verdade é o primeiro festival sul-americano a merecer este status.

PREMIAÇÃO OFICIAL

Os premiados oficiais do É Tudo Verdade 2018 são:

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial) O Distante Latido dos Cães, de Simon Lereng Wilmont

Melhor Documentário de Curta-Metragem (Júri Oficial) Ressonâncias, de Nicolas Khoury

Prêmio Especial do Júri para Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial) Naila e o Levante, de Julia Bacha

Menção Honrosa para Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial) The Cleaners, de Hans Block e Moritz Riesewieck

COMPETIÇÃO BRASILEIRA

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial) Auto de Resistência, de Natasha Neri e Lula Carvalho

Melhor Documentário de Curta-Metragem (Júri Oficial) Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda

O Júri Oficial concedeu duas Menções Honrosas para a Competição de Curta-Metragem Brasileira para:

– Inconfissões, de Ana Galizia

– Catadora de Gente, de Mirela Kruel

COMPETIÇÃO LATINO-AMERICANA

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial) Roubar Rodin, de Cristóbal Valenzuela

Prêmio Especial do Júri para Documentário de Longa ou Média- Metragem (Júri Oficial) A Flor da Vida, de Claudia Abend e Adriana Loeff

PREMIAÇÕES PARALELAS

Os premiados dos júris paralelos são:

PRÊMIO ABD-SP (Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas)

Júri de Curta-Metragem Brasileiro composto por Alice Riff, Gabriel Tonelo e Bruno Cucio.

Júri de Longa ou Média-Metragem Brasileiro composto por: Lívia Perez, Mariana Duccini e Patrícia Mourão.

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem da Competição Brasileira Elegia de um Crime, de Cristiano Burlan

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda

PRÊMIO ABRACCINE (Associação Brasileira de Críticos de Cinema)

Júri composto por Julio Bezerra, Lúcio Vilar e Nayara Reynaud.

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem da Competição Brasileira Ex-Pajé, de Luiz Bolognesi

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira Inconfissões, de Ana Galizia

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS

Prêmio de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) ao melhor curta-metragem da Competição Brasileira.

Júri composto por Amilton Pinheiro, Bárbara Demerov, Clarissa Kuschnir, Flavia Guerra e Luiza Lusvarghi.

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira Mini Miss, de Rachel Daisy Ellis.

PRÊMIO EDT. (Associação de Profissionais de Edição Audiovisual)

Melhor montagem para Curta e Longa ou Média-Metragem da Competição Brasileira.

Júri composto por Fernanda Bastos, Júlia Bernstein e Mariana Becker.

Melhor Montagem de Curta-Metragem da Competição Brasileira Inconfissões, de Ana Galizia

Melhor Montagem de Longa-Metragem da Competição Brasileira Elegia de um Crime, de Cristiano Burlan

PRÊMIO MISTIKA

Prêmio de R$ 8.000,00 (oito mil reais) em serviços de pós-produção digital para o melhor curta-metragem eleito pelo júri oficial do festival.

Melhor Documentário de Curta-Metragem da Competição Brasileira Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda