Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe

Filme de suspense nacional tem atmosfera claustrofóbica e traz final surpreendente

por

23 de novembro de 2017

O esquizofrênico funcional Inácio (Fernando Alves Pinto) é porteiro na Zona Sul do Rio e seu pai, Guilherme (Tião Ribas D’Avila), zelador aposentado do mesmo prédio onde garantia o apartamento da família e o emprego do filho, está morrendo. Sua esposa Zaira (Catarina Abdalla) não aguenta mais cuidar de um inválido, nem de Inácio. Após a morte de Guilherme, ela teme perder o apartamento em que vive com o filho, que desenvolve uma enorme obsessão sexual por um morador do prédio. É aí que a relação entre mãe e filho torna-se ainda mais insuportável.

Com clima constante de tensão e suspense, “Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe”, longa-metragem de estreia de Aaron Salles Torres, acompanha o turbulento e violento relacionamento de Inácio e Zaira, que piora com a morte do patriarca Guilherme. O rancor de uma mãe frustrada com a vida que se vira contra o filho, a obrigação do filho com o emprego para manter a casa e sustentar a mãe que não suporta, a obsessão invasiva do filho homossexual pelo morador bonitão, a mente do filho que o confunde todos os dias, o desejo da mãe em reconstruir a sua vida depois da viuvez reprovado pelo filho – tudo contribui para que esta relação chegue a um ponto insustentável. Os planos fechados e a fotografia esverdeada escolhidos por Torres revelam um ambiente opressor e sufocante para ambos, que testa até onde o limite do ser humano consegue aguentar.

A história vai crescendo e se tornando cada vez mais claustrofóbica tanto para os personagens quanto para o público, que não sabe de que lado ficar e de quem é a culpa por toda aquela situação-limite, já que Inácio e Zaira, tomados por uma aura de infelicidade, amargura e solidão, sofrem de falta de empatia mútua com os sentimentos um do outro nessa complicada convivência diária. Catarina Abdalla e Fernando Alves Pinto interpretam mãe e filho de forma visceral com uma química incrível em cena. O final com uma virada surpreendente insere de vez “Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe” na ótima seara brasileira de filmes gênero que vem surgindo nos últimos anos.

 

Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe

Brasil – 2017. 70 minutos.

Direção: Aaron Salles Torres

Com: Fernando Alves Pinto, Catarina Abdalla e Tião D’Avilla.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 4