Recordes do Oscar 2018

Recordes de representatividade no Oscar 2018

por

05 de março de 2018

OSCAR 2018 – Alguns Recordes deste Oscar, especialmente numa conquista de representatividade e narrativas que reflitam melhor a sociedade para a qual se destinam. Isso quer dizer que a trinca favorita de muita gente venceu nesta edição os prêmios previstos nas principais categorias autorais, o que significa uma tentativa de alcançar maior pluralidade em busca de novas narrativas: “Corra!” de Jordan Peele ganhou melhor roteiro original, “Me Chame Pelo Seu Nome” de Luca Guadagnino ganhou melhor roteiro adaptado e “A Forma da Água” de Guillermo Del Toro ganhou o maior número de prêmios, dentre eles melhor filme e direção.

66uDFBgPHrBRk9H3DJeZEZzlV9x

Foi um Oscar de certa diversidade representativa sim, apesar de ainda timidamente, ocupando pelas beiradas. Existe toda uma pluralidade de produções sendo invisibilizadas, de modo que o mercado ainda permaneça predominantemente homogêneo, o que de forma alguma invalidam ou diminuem o valor das produções hegemônicas, porém diminui o potencial de riqueza criativa que ainda podemos alcançar. Nós não saímos perdendo em lutarmos por melhor representação nas artes que nos são dirigidas, só ganhando. A arte tende a acompanhar o seu tempo, sendo um retrato de várias épocas, porém ao mesmo tempo servindo em muito para uma reiteração de um discurso do vencedor a quem é permitido contar sempre a sua história. Ou seja, nossa participação e cobrança são úteis para nivelar que tipos de histórias estão sendo contadas; quais talvez não estejam sendo contadas; e quais mesmo contadas possam estar sendo impedidas de ser ouvidas.

1. Jordan Peele (“Corra!”) primeiro cineasta negro a ganhar Oscar de roteiro original

FB_IMG_1520258337697

2. “Mulher Fantástica” de Sebastian Lelio (e produzido por um de meus ídolos Pablo Larraín) é o primeiro filme protagonizado por pessoa trans a ganhar um Oscar.

Berlinale 2017_Una Mujer Fantastica_foto 1

3. Primeiro Oscar na categoria de filme em língua estrangeira a laurear uma produção do Chile (de novo, por “Uma Mulher Fantástica”)

mudbound

4, 5 e 6 (3 recordes para Mudbound).

. Primeira mulher indicada em direção de fotografia Rachel Morrison
. Primeira mulher negra indicada a roteiro adaptado Dee Rees
. Primeira pessoa indicada a uma categoria de artista (atriz coadjuvante) e melhor canção ao mesmo tempo.

7. James Ivory é a pessoa mais velha a ganhar Oscar, com 89 anos, pela adaptação do livro homônimo “Me Chame Pelo Seu Nome”

8. Oscar a premiar mais latinos em geral e/ou filmes com temática ou representação latina (com o prêmio de filme em língua estrangeira para o chileno “Uma Mulher Fantástica”, a animação da Disney com temática mexicana “Viva – A Vida é uma Festa”, e o grande vencedor da noite “A Forma da Água” do mexicano Guillermo del Toro).

9. Primeiro Oscar a falar abertamente contra o assédio e outros abusos na indústria, como com as hashtags #TimesUp e #MeToo. Além de ser o mais forte em presença das mulheres, com maior número de apresentadoras (boa representação), porém infelizmente não refletindo o mesmo nas ganhadoras em principais funções criativas (péssima representatividade).

PS. 2 recordes permanecem: Meryl continua sendo pessoa mais indicada em categoria de atuação (a vez anterior dela foi…Todo ano rsrsrsrs), e Christopher Plummer com 88 anos continua sendo a pessoa mais velha indicada em categorias de atuação (a vez anterior dele foi inclusive sendo a mais velha pessoa a levar um Oscar quando ganhou como ator coadjuvante por “Toda Forma de Amor/Beginners”)