Resultados

Pena que o resultado foi negativo

por

03 de outubro de 2015

Às vezes é uma pena que poucas coisas ou mesmo nada consiga salvar um filme. Não que ele deixe de ter um ou outra qualidade, porém não quando fica aquém de qualquer intenção e seria melhor nem ter sido realizado. Pois, infelizmente, este é o caso de “Resultados”, de Andrew Bujalski. Pretendendo-se de início um drama sobre as neuroses no meio fitness, de pessoas que projetam suas solidões em ficções e fetiches do culto ao corpo. E é justamente aí que se perde da intenção e naufraga em mais uma comédia romântica apenas esquisita e sem sentido, apesar de que a primeira terça parte indicasse outra coisa completamente diversa. Este ano já havia sido contemplado com outro filme por sua vez bem mais complexo dentro da seara psicose no fitness e que foi esnobado nas indicações ao Oscar deste ano ou mesmo na bilheteria internacional, que foi “Foxcatcher”. E “Resultados” até começa similar. Uma academia com profissionais aficionados pelos exercícios como mote de vida para substituir seu próprio vazio acaba sendo contratada por milionário excêntrico para treiná-lo. Em “Foxcatcher” a psicose ainda era acentuada por ser um ambiente predominantemente masculino, o que sufocava certa tensão recalcada. Mas, aqui, a protagonista defendida por Cobie Smulders (mais lembrada no Brasil pela série “How I Met your Mother”), com intenção talvez ou de aliviar as tensões, ou apenas convergi-las, acaba se desviando de uma atuação já insossa e de início satisfatória, para resvalar na típica narrativa romântica. Os outros dois protagonistas masculinos vãao simplesmente disputar por ela, como homens das cavernas, o dono da academia reprimido, e o milionário esquisito antissocial.

Results Movie

Mas o pior não fica por aí. Se o personagem do milionário servia como diferencial, pois de tão pirado não se sabia quais eram suas reais psicopatias, de repente ele vira o mais normal, como se dissesse a simples moral da história que aqueles mais aplicados no corpo seriam os mais negligentes com a mente, e o gordinho infeliz e rico só precisasse chegar perto deles para enxergar a diferença e se sentir melhor quanto a si mesmo. Não só, virar até o guru e cupido dos outros personagens. Quem acaba mais sofrendo com isso tudo não é nem o ótimo ator Guy Pearce totalmente mal escalado no papel de par romântico de Cobie, e sim o espectador, que teve de perder seu tempo com este pretenso exercício saudável para a mente nos cinemas.

Festival do Rio 2015 – Panorama do Cinema Mundial

Resultados (Results)

EUA, 2015. 105 min.

De Andrew Bujalski

Com: Guy Pearce, Cobie Smulders, Kevin Corrigan, Giovanni Ribisi, Michael Hall, Brooklyn Decker

 


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52